Brasil

‘Está complicada a situação lá’, resume Bolsonaro sobre Manaus

O presidente Jair Bolsonaro disse que “a situação está complicada” sobre a falta de oxigênio e o colapso na saúde em Manaus. Em live, na noite desta quinta-feira (14/1), o presidente falou sobre a saída da Ford do Brasil, isenção do Imposto de Renda, técnica de transplante de órgãos de porcos para humanos e fez […]

Diego Alves Publicado em 14/01/2021, às 19h44

reprodução
reprodução - reprodução

O presidente Jair Bolsonaro disse que “a situação está complicada” sobre a falta de oxigênio e o colapso na saúde em Manaus. Em live, na noite desta quinta-feira (14/1), o presidente falou sobre a saída da Ford do Brasil, isenção do Imposto de Renda, técnica de transplante de órgãos de porcos para humanos e fez críticas a mídia antes de citar Manaus, publicou o site

Ao lado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, Bolsonaro defendeu o tratamento precoce para a covid-19 como forma de evitar o que ocorreu em Manaus. O tratamento precoce defendido pelo presidente é um kit de remédios que comprovadamente não combatem a covid-19, como a hidroxicloroquina. “A cada 10 intubados, sete morrem. Eu lembro do Mandetta. Fique em casa, quando sentir falta de ar procure o hospital. Aí, você lembra a pressa para comprar respirador. Foi uma festa. Mas não vou acusar o Mandetta de ter mandado ficar em casa para o pessoal superfaturar”, disse. “Na Guerra do Pacífico, o pessoal chegava ferido e não tinha sangue, começaram a colocar água de coco e deu certo. Se tivesse esperado uma comprovação científica, quantas pessoas teriam morrido? É a mesma coisa o tratamento precoce da covid com hidroxicloroquina, ivermectina, anita, e não faz mal se mais na frente descobrirem que não faz efeito, o que não vai acontecer”, concluiu.

Pazuello destacou que a situação que Manaus vive é de colapso. “Manaus teve o pior momento da pandemia em abril do ano passado e foi revertido. Agora estamos novamente em situação grave. Considero que há um colapso em Manaus. A realidade da diminuição da oferta do oxigênio. Estamos priorizando o oxigênio para atender as UTIs”, afirmou. “Manaus é uma conjunção de fatores. É uma ilha no meio da Amazônia. Qualquer coisa que você precise é só de avião ou dias embarcando em um barco. Estamos vivendo o segundo ciclo sazonal. Estamos no período chuvoso. E no período chuvoso a umidade do ar fica muito alta e você começa a ter complicações respiratórias. Manaus não teve tratamento precoce. A infraestrutura hospitalar é bastante reduzida”, disse.

Nos comentários da live, muitas pessoas questionavam sobre a situação do Amazonas. “O que você está fazendo para ajudar Manaus? Tem gente morrendo sufocado. Não queremos politicagem, não é hora disso…”, disse um. “Centenas de pessoas morrendo em Manaus. Por que não tomaram medidas antes, já que Manaus sofreu muito no primeiro pico. Vergonha desse presidente que nega a pandemia”, escreveu outro.

Situação de Manaus

Manaus sofre com o aumento de casos da covid-19. Nesta quinta-feira (14/1), os estoques de oxigênio acabaram na capital amazonense e pacientes tiveram que ser transferidos para outros estados.

Um avião da Força Área Brasileira (FAB) enviou oito toneladas de suplementos médicos para a cidade.

A principal fornecedora de oxigênio para a região informou que a demanda pelo material aumento pelo menos seis vezes nos últimos 15 dias e que vai importar o material da Venezuela. (Informações do Correio Braziliense)

Jornal Midiamax