Brasil

Em São Paulo: Mulher queimada com etanol morre após ficar 25 dias internada

Geisa Stefanini, de 32 anos, teve queimaduras em 90% de seu corpo após uma tentativa de cozinhar com etanol

Geliel Oliveira Publicado em 28/09/2021, às 11h22

Geisa Stefanini, de 32 anos, teve queimaduras em 90% de seu corpo
Geisa Stefanini, de 32 anos, teve queimaduras em 90% de seu corpo - Foto: Reprodução/Instagram

Após ficar 25 dias internada no Hospital Vila Penteado, na zona norte de São Paulo capital, Geisa Stefanini, de 32 anos, morreu nesta segunda-feira (27). A confirmação do óbito foi divulgada pelo Instituto Médico Legal (IML), segundo boletim, ela teve queimaduras em 90% de seu corpo após uma tentativa de cozinhar com etanol.

O filho Lucas Gabriel, de sete meses, foi levado para tratamento no Hospital das Clínicas com 50% de seu corpo queimado, até o momento não há mais informações sobre seu estado de saúde.

Geisa, foi encaminhada ao hospital no dia 2 de setembro, após a explosão provocada pelo etanol, no bairro de Bussocaba, em Osasco, na Grande São Paulo.

Conforme apurado pela polícia, a mulher não teria dinheiro para o gás de cozinha, resultando na compra de etanol para cozinhar. Segundo o boletim após despejar o combustível no recipiente o líquido entrou em combustão causando as queimaduras. No local da explosão, foram encontrados uma panela com água sob alguns tijolos e uma lata com vestígios de etanol.

Ao todo, quatro viaturas foram até o local no dia do acidente e a mulher foi resgatada pelo helicóptero Águia do Grupamento Aéreo da Polícia Militar. O pai da criança, que está separado da mulher, alegou não saber das necessidades.

Jornal Midiamax