Brasil

CPI votará requerimentos sobre Nise Yamaguchi e Copa América no Brasil

Agência Senado Publicado em 02/06/2021, às 13h29

Omar Aziz, presidente, e Renan Calheiros, relator da CPI
Omar Aziz, presidente, e Renan Calheiros, relator da CPI - Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

A CPI da Pandemia deve votar cinco requerimentos incluídos na pauta na manhã desta quarta-feira (2). A parte deliberativa da reunião deve ocorrer após o depoimento de Luana Araújo, ex-secretária de enfrentamento à covid do Ministério da Saúde.

Quatro requerimentos de informação foram apresentados pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM). Ele quer esclarecer pontos do depoimento da oncologista Nise Yamaguchi, que falou como convidada na reunião de terça-feira (1). A médica voltou a defender o tratamento de pacientes de covid-19 com drogas consideradas ineficazes por pesquisadores dentro e fora do Brasil.

Aziz defende que o ministro da Saúde preste informações sobre eventuais contratos ou repasses de recursos para pessoas jurídicas que tenham a médica como sócia. Em outros três requerimentos, o senador pede que as companhias aéreas Latam, Gol e Azul informem os registros de voo realizados com destino a Brasília por Nise Yamaguchi e dois irmãos dela, Greici Yamaguchi e Charles Takahito.

O quinto requerimento na pauta foi apresentado pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Ele sugere a convocação do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo. Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro confirmou a realização da Copa América de futebol no Brasil.

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) reclamou da inclusão dos requerimentos na pauta sem antecedência. Para ele, a medida contraria o Regimento Interno do Senado.

— Uma série de requerimentos foi colocada na pauta hoje, às 9 horas. Eu já tinha alertado que não iria concordar mais com esse tipo de procedimento. Eu gostaria de arguir a questão do nosso regimento, que não permite esse tipo de procedimento. Nada contra os requerimentos, mas eu espero que isso seja respeitado daqui por diante na nossa CPI — afirmou.

Jornal Midiamax