Brasil

Com redução de insumos, produção da Coronavac vai atrasar, diz diretor do Butantan

Dimas Covas anunciou envio de material para fabricação de vacina em quantidade menor que o esperado

Estadão Conteúdo Publicado em 19/05/2021, às 13h39

None
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciou que devem chegar, na próxima terça-feira, 25, 3 mil litros de insumos vindos da China para a produção da vacina da covid-19. Diante da redução da quantidade de insumos - inicialmente de 10 mil litros para 4 mil litros no início da semana e agora 3 mil litros - Covas afirma que o cronograma de entrega de doses de imunização para maio não será mantido.

A previsão de entrega das vacinas da Coronavac era de 12 milhões de doses para maio e 6 milhões para junho. No entanto, para totalizar a quantidade acordada, seria necessária a entrega dos 10 mil litros pela Sinovac. Segundo Covas, com o novo calendário, a expectativa de doses fica em aberto.

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 18, o diretor do Butantan ainda informou que, na madrugada de ontem para hoje, houve uma reunião entre o embaixador do Brasil em Pequim, Paulo Mesquita, e a Sinovac.

Covas classificou que as informações da reunião foram positivas. "Esperamos que isso surta efeito a partir de agora junto ao governo chinês para que haja essa flexibilização para a liberação de mais doses", pontuou o diretor. "Já aguardamos notícia do próximo embarque".

Jornal Midiamax