Brasil

Carlos Bolsonaro intervém em compra aparelho já utilizado para espionar jornalistas

O edital prevê a compra do programa Pegasus no valor de R$ 25 milhões

Gabriel Neves Publicado em 19/05/2021, às 11h43

Carlos Bolsonaro.
Carlos Bolsonaro. - (Foto: Reprodução/Sérgio Lima/Poder360)

Uma disputa entre o alto comando militar e o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos) foi exposto através de uma licitação para a aquisição de uma ferramenta de espionagem no valor de R$ 25,4 milhões.

O edital de licitação em questão é o de nº 03/21, do Ministério da Justiça, no valor de R$ 25,4 milhões, previsto para acontecer nesta quarta-feira (19). O objetivo é contratar o avançado programa de espionagem Pegasus, desenvolvido pela empresa israelense NSO Group.

Desta vez, diferente do já ocorrido anteriormente, os órgãos oficiais de investigação que seriam beneficiados diretamente pela ferramenta, como o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e a Abin (Agência Brasileira de Inteligência), não estão envolvidos nas tratativas.

O Pegasus já foi usado para espionar celulares e computadores de jornalistas e críticos de governos ao redor do mundo. Em junho de 2017, o jornal The New York Times revelou que o software estava sendo usado pelo governo do México, ainda sob a gestão de Enrique Peña Nieto, para espionar ativistas contrários à sua gestão.

Segundo informações do veículo norte-americano, o governo daquele país chegou a gastar cerca de US$ 80 milhões para o uso da ferramenta desde 2011.

*Com informações do portal UOL.

Jornal Midiamax