Brasil

Weintraub defende seu trabalho em banco e diz que Maia espalha fake news

Poucas horas após anunciar que deixaria o comando do Ministério da Educação, Abraham Weintraub respondeu às declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sobre seu trabalho no Banco Votorantim. A princípio, o ministro demissionário disse que não iria comentar o caso, após ser questionado por seguidores. Mas, na mesma publicação no Twitter, escreveu: “Digo […]

Agência Estado Publicado em 19/06/2020, às 07h23

Agência Brasil, Reprodução
Agência Brasil, Reprodução - Agência Brasil, Reprodução
Poucas horas após anunciar que deixaria o comando do Ministério da Educação, Abraham Weintraub respondeu às declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sobre seu trabalho no Banco Votorantim.

A princípio, o ministro demissionário disse que não iria comentar o caso, após ser questionado por seguidores. Mas, na mesma publicação no Twitter, escreveu: “Digo apenas que o Banco Votorantim NUNCA quebrou e que existe até hoje. A afirmação dele é uma MENTIRA. Tive a honra de trabalhar lá. Comecei como liquidante (boy) e cheguei a diretor estatutário. Fui economista chefe, ranqueado várias vezes no Top5”.

Numa outra publicação, em seguida, escreveu: “Trabalhei no Votorantim por 18 anos. O Banco existe até hoje. NUNCA QUEBROU! Atualmente invisto em títulos da dívida dessa instituição por acreditar em sua solidez e seriedade. Espalhar Fakenews sobre a solvência de uma instituição financeira é muito grave”.

O presidente da Câmara, ao ser informado sobre a indicação de Weintraub para o Banco Mundial, disse: “Não sabem que ele (Weintraub) trabalhou no Banco Votorantim, que quebrou em 2009. Ele era um dos economistas do banco”.

Jornal Midiamax