Brasil

VÍDEO: Equipe de reportagem é agredida durante gravação em praia

Equipe de reportagem da NSC TV, afiliada à Rede Globo em Santa Catarina, foi agredida durante reportagem que cobria o descumprimento de medidas na praia do Campeche, em Florianópolis (SC), na manhã desta segunda-feira (02). Lá, é permitido tomar banho de mar, porém ficar na areia está proibido. Durante o trabalho, a repórter Bárbara Barbosa […]

Renan Nucci Publicado em 02/11/2020, às 18h17

Imagens mostram agressão em praia. Foto: Reprodução
Imagens mostram agressão em praia. Foto: Reprodução - Imagens mostram agressão em praia. Foto: Reprodução

Equipe de reportagem da NSC TV, afiliada à Rede Globo em Santa Catarina, foi agredida durante reportagem que cobria o descumprimento de medidas na praia do Campeche, em Florianópolis (SC), na manhã desta segunda-feira (02). Lá, é permitido tomar banho de mar, porém ficar na areia está proibido.

Durante o trabalho, a repórter Bárbara Barbosa e o repórter cinematográfico Renato Soder foram abordados por um grupo de banhistas que se aproxima e tenta impedir as filmagens. A profissional alega estar em um local público, mas é contestada por um homem e uma mulher que atrapalham o andamento da reportagem.

Em seguida, outro homem aparece e a repórter acaba agredida, tendo o celular, uma de suas ferramentas de trabalho, tomado. O grupo ainda tentou danificar a câmera para apagar as imagens. A repórter conseguiu recuperar o aparelho, mas ficou com marcas da agressão, como arranhões e escoriações no braço.

A Polícia Militar e a Guarda Municipal foram acionadas e foi registrado boletim de ocorrência por parte da emissora. Entidades como a Associação Nacional de Jornais, a Associação Catarinense de Imprensa e a Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), entre outras, se manifestaram e repudiaram o ataque contra os profissionais.

Nota da ANJ

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) lamenta as agressões sofridas hoje por profissionais de jornalismo da NSC TV, na Praia do Campeche, em Florianópolis. Foi uma atitude covarde, autoritária, intolerante e que demonstra falta de compreensão do papel dos jornalistas na sociedade. Além das agressões verbais e físicas, condenáveis em qualquer situação, o que houve foi também uma tentativa de impedir que a verdade chegue ao conhecimento dos cidadãos. Portanto, se trata de um ataque ao direito das pessoas de serem livremente informadas. A ANJ espera que os agressores sejam identificados e encaminhados à Justiça, para que sejam punidos nos termos da lei. Brasília, 2 de novembro de 2020. 

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS – ANJ

Jornal Midiamax