Brasil

Polícia Militar começa dispersão após atos em São Paulo

A Tropa de Choque da Polícia Militar já inicia dispersão dos atos contra e pró governo em São Paulo. Conforme o portal UOL, os grupos fugiram do trajeto acordado com a PM. Na barreira para conter a movimentação dos manifestantes, gritos de “deixa passar a revolta popular” foram ouvidos. Segundo a PM, boa parte dos […]

Gabriel Maymone Publicado em 07/06/2020, às 17h25 - Atualizado às 17h26

Manifestantes no Largo da Batata em São Paulo. (Imagem: TABA BENEDICTO/ESTADÃO CONTEÚDO)
Manifestantes no Largo da Batata em São Paulo. (Imagem: TABA BENEDICTO/ESTADÃO CONTEÚDO) - Manifestantes no Largo da Batata em São Paulo. (Imagem: TABA BENEDICTO/ESTADÃO CONTEÚDO)

A Tropa de Choque da Polícia Militar já inicia dispersão dos atos contra e pró governo em São Paulo. Conforme o portal UOL, os grupos fugiram do trajeto acordado com a PM.

Na barreira para conter a movimentação dos manifestantes, gritos de “deixa passar a revolta popular” foram ouvidos. Segundo a PM, boa parte dos manifestantes já foi embora, seriam cerca de 200 o número de pessoas no local. Choque e carros de jato d’água foram posicionados no local para a dispersão.

O clima na tarde hoje é pacífico, e participantes impediram uma ocorrência de tentativa de vandalismo a uma agência bancária. Segundo a PM, a estimativa é de ter havido 100 pessoas na avenida Paulista, em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e 3 mil contra no Largo da Batata. Ocorreram, no total, 13 detenções ligadas aos protestos.

O Largo da Batata, em Pinheiros, foi o ponto de encontro da manifestação em oposição ao governo federal. O protesto é organizado pela Frente Povo Sem Medo, da qual Guilherme Boulos (PSOL) faz parte, e conta com a participação das torcidas organizadas, como o movimento Somos Democracia, formado por torcedores do Corinthians.

Havia muitas pessoas com faixas e bandeiras no local durante a tarde. Muitos discursos foram feitos, inclusive em carros de som, e manifestantes gritam ordens contra o presidente e o racismo, além de apoiarem a democracia. A Avenida Brigadeiro Faria Lima foi fechada no sentido Itaim Bibi.

Jornal Midiamax