Brasil

Nova fase da Laja Jato apura crimes de corrupção na Petrobras

A 73ª Fase da Operação Lava Jato, denominada “Ombro a Ombro”, foi deflagrada na manhã desta terça-feira (25), pela Polícia Federal (PF) em cooperação com Ministério Público Federal. A nova fase tem como principal objetivo apurar supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, envolvendo a Petrobras. São 15 mandados de busca e apreensão […]

Gabriel Neves Publicado em 25/08/2020, às 09h11 - Atualizado às 09h15

Petrobras. (Foto: reprodução/Agência Brasil)
Petrobras. (Foto: reprodução/Agência Brasil) - Petrobras. (Foto: reprodução/Agência Brasil)

A 73ª Fase da Operação Lava Jato, denominada “Ombro a Ombro”, foi deflagrada na manhã desta terça-feira (25), pela Polícia Federal (PF) em cooperação com Ministério Público Federal.

A nova fase tem como principal objetivo apurar supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, envolvendo a Petrobras. São 15 mandados de busca e apreensão sendo cumpridos em Brasília (DF), João Pessoa (PB), Cabedelo (PB) e Campina Grande (PB).

De acordo com a PF, durantes as investigações da Operação Lava Jato, foi identificada uma quadrilha criminosa formada por executivos de grandes empreiteiras.

Esses executivos, por meio de formação de cartel e pagamento de propina, teriam fraudados o caráter competitivo de licitações realizadas pela Petrobras.

Um dos investigados, segundo a PF, teria solicitado e recebido pelo menos R$ 4 milhões para ‘blindar” executivos de grandes empreiteiras, envolvidas no esquema de corrupção.

Com base em declarações prestadas por executivos de uma dessas empreiteiras, as vantagens indevidas destinadas ao investigado teriam sido pagas pela empreiteira por meio de doação a um partido político e repasses a empresas sediadas na Paraíba.

Os pagamentos feitos pela empreiteira para as empresas foram justificados em contratos fictícios ou superfaturados, e os valores respectivos seriam sacados pelos representantes das empresas e entregues em espécie a intermediários do investigado.

Jornal Midiamax