Brasil

‘Mulher demônia’ existe e chama atenção nas redes sociais

Já ouviu falar da “mulher demônia”? Ela existe e vive em Praia Grande, litoral de São Paulo. Por trás do apelido, está Carol Praddo, que trabalha como modificadora corporal. A mulher, de 35 anos, decidiu mudar o próprio corpo para ter olhos vermelhos, língua cortada e até par de chifres. Em entrevista ao portal G1, […]

Renata Fontoura Publicado em 04/10/2020, às 09h05

Carol se orgulha da modificação corporal - Foto: Reprodução/Instagram
Carol se orgulha da modificação corporal - Foto: Reprodução/Instagram - Carol se orgulha da modificação corporal - Foto: Reprodução/Instagram

Já ouviu falar da “mulher demônia”? Ela existe e vive em Praia Grande, litoral de São Paulo. Por trás do apelido, está Carol Praddo, que trabalha como modificadora corporal.

A mulher, de 35 anos, decidiu mudar o próprio corpo para ter olhos vermelhos, língua cortada e até par de chifres.

Em entrevista ao portal G1, ela contou que a transformação aconteceu há três anos e já tem 60% do corpo tatuado, incluindo o fundo dos olhos.

“Não me incomodo com o apelido, em hipótese alguma. Tenho orgulho de ser quem eu sou”, afirma.

A moça trabalha em um estúdio de piercings, tatuagens e outras transformações corporais junto com o marido, conhecido como “Diabão”.

Apesar de ser conhecida como “mulher demônio”, Carol diz ser temente a Deus e pediu aos Céus uma orientação antes de realizar os procedimentos.

“Conversei com meu marido e oramos para pedir ajuda para Deus. Já me questionei por medo em relação ao nosso Senhor. Entendemos que Ele não é assim e não julga por isso. É a modificação que eu me sinto mais entusiasmada, feliz e orgulhosa de ter feito”, explica.

https://www.instagram.com/p/CFfUCjKgwB8/?utm_source=ig_embed

e

Jornal Midiamax