Brasil

Luciano Hang pede dinheiro em grupo no WhatsApp para ajudar Olavo de Carvalho

Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, apelou a um grupo de empresários solicitando recursos para Olavo de Carvalho no WhatsApp. Há dez dias, ele foi um dos alvos de busca da Polícia Federal no âmbito do inquérito das Fake News, no qual é um dos investigados. “Temos que ajudá-lo financeiramente. Está chateado, precisa […]

Agência Estado Publicado em 08/06/2020, às 07h21

(Reprodução)
(Reprodução) - (Reprodução)
Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, apelou a um grupo de empresários solicitando recursos para Olavo de Carvalho no WhatsApp. Há dez dias, ele foi um dos alvos de busca da Polícia Federal no âmbito do inquérito das Fake News, no qual é um dos investigados. “Temos que ajudá-lo financeiramente. Está chateado, precisa de mais ajuda para continuar lutando pelo Brasil”, escreveu.

Ele foi contestado. Uma pessoa respondeu: “Pede para ele vir ao Brasil, então. De longe, é fácil.” Outra reagiu: “Deve estar ficando louco.” “Ele vive de criar polêmica. Em cada uma criada, ele consegue vender cursos online para incautos. Vejo como má-fé”, disse um terceiro participante do grupo.

O escritor Olavo de Carvalho, considerado “guru” do bolsonarismo, fez uma série de postagens das redes sociais na madrugada deste domingo com críticas ao presidente Jair Bolsonaro, de quem é aliado. Em vídeo, afirmou que Bolsonaro não é seu amigo, não o defende de uma suposta milícia digital e pode ser processado por prevaricação, já que presencia crimes e “não faz nada”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Jornal Midiamax