Brasil

Incêndio na Amazônia de janeiro a setembro é o maior em 10 anos

O número de focos de incêndio registrados na Amazônia de janeiro a setembro deste ano é o maior desde 2010, segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Há 10 anos, foram 102.409 pontos de fogo na floresta de 1 de janeiro a 30 de setembro. Já neste 2020, no mesmo período, foram 76.030. Por […]

Renata Fontoura Publicado em 09/10/2020, às 15h56

Foto: Christian Braga / Greenpeace
Foto: Christian Braga / Greenpeace - Foto: Christian Braga / Greenpeace

O número de focos de incêndio registrados na Amazônia de janeiro a setembro deste ano é o maior desde 2010, segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Há 10 anos, foram 102.409 pontos de fogo na floresta de 1 de janeiro a 30 de setembro. Já neste 2020, no mesmo período, foram 76.030.

Por isso, o setembro atual é, historicamente, o mês com mais focos de incêndio na floresta. Neste ano, houve 32.017 focos do dia 1 a 30 de setembro, ou seja, uma alta de 61% em relação a setembro do ano passado. O número ficou um pouco abaixo da média histórica para o mês, que é de 32.812 focos.

“Isso mostra que as ações que o governo vem alardeando e dizendo que vem tomando para evitar as queimadas na verdade não têm efeito nenhum no chão da floresta, no chão do Cerrado e no chão do Pantanal. A verdade é uma só: que o Brasil está em chamas”, afirma Rômulo Batista, porta-voz da campanha de Amazônia do Greenpeace.

Jornal Midiamax