Brasil

Greenpeace divulga foto de estátua de Bolsonaro e aponta irresponsabilidade com queimadas no Pantanal

O Greenpeace compartilhou na tarde desta sexta-feira (9) a imagem do Presidente Jair Bolsonaro representado como o Imperador Romano Nero

Carlos Yukio Publicado em 09/10/2020, às 14h21

None
Greenpeace divulga foto de estátua de Bolsonaro e aponta irresponsabilidade com queimadas no Pantanal

Uma das principais ONGs de proteção ao meio ambiente no mundo, o Greenpeace compartilhou na tarde desta sexta-feira (9) a imagem do Presidente da República Jair Bolsonaro representado como o imperador romano Nero. Na foto, a estátua de Bolsonaro, colocada em uma região do Pantanal que sofre com as queimadas, ostenta uma pele de onça nos ombros.

“Ativistas levaram uma estátua de Bolsonaro vestido como o imperador romano Nero para o Pantanal no Brasil para expor a destruição que foi alimentada pelo governo de Bolsonaro. Não podemos permitir que incêndios criminosos continuem queimando ecossistemas vitais”, escreveu o Greenpeace na publicação.

Não é a primeira vez que a ONG e o Presidente do Brasil se alfinetam nas redes sociais. Em fevereiro de 2020, Bolsonaro chamou a organização de proteção ao meio ambiente de “lixo”. Ele reagiu às críticas da ONG, fundada em 1971 , sobre a reformulação do Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Em contrapartida, O Greenpeace respondeu à crítica de Bolsonaro com nota oficial afirmando que “lamenta que um Presidente da República apresente postura tão incondizente com o cargo que ocupa”. “O incômodo de quem destrói o meio ambiente soa como elogio”, segue o posicionamento.

Recentemente, no fim de setembro, o Greenpeace se manifestou e afirmou que o presidente mentiu nas declarações de que o governo esteja empenhado em ações efetivas para o combate ao desmatamento e queimadas na Amazônia. ““Bolsonaro mentiu mais uma vez ao dizer que seu governo está empenhado na proteção das nossas florestas e da nossa biodiversidade”, escreveu.

Greenpeace divulga foto de estátua de Bolsonaro e aponta irresponsabilidade com queimadas no Pantanal
(Reprodução, Greenpeace)

Na ocasião, Bolsonaro afirmou, sem apresentar provas, que organizações, em parceria com “algumas ONGs”, comandam “crimes ambientais” no Brasil e também no exterior. Ele citou, ainda, medidas na região amazônica, como a Operação Verde Brasil 2, mas não divulgou dados concretos.

“26% das áreas úmidas do Pantanal já foram consumidas pelos incêndios apenas neste ano. No entanto, Bolsonaro opta por ignorar os fatos e alimentar a destruição. Seu governo é o culpado pela destruição das florestas e pela ameaça à biodiversidade e ao clima”, finalizou a ONG. O presidente não se pronunciou publicamente até o fechamento desta matéria.

Jornal Midiamax