Brasil

Flordelis chama fiéis para culto e afirma “vamos vencer essa batalha na oração”

A deputada federal Flordelis dos Santos, acusada de ser a mandante do assassinato de seu marido, enviou um áudio para fiéis de sua igreja em Niterói (RJ). Na mensagem enviada na última terça-feira (25), além de convocar as pessoas para um culto, ela diz que “já já tudo será esclarecido”. Além do convite para o […]

Gabriel Neves Publicado em 27/08/2020, às 16h18 - Atualizado às 16h21

Deputada federal Flordelis. (Foto: Reprodução/ Fernando Frazão/ Agência Brasil)
Deputada federal Flordelis. (Foto: Reprodução/ Fernando Frazão/ Agência Brasil) - Deputada federal Flordelis. (Foto: Reprodução/ Fernando Frazão/ Agência Brasil)

A deputada federal Flordelis dos Santos, acusada de ser a mandante do assassinato de seu marido, enviou um áudio para fiéis de sua igreja em Niterói (RJ). Na mensagem enviada na última terça-feira (25), além de convocar as pessoas para um culto, ela diz que “já já tudo será esclarecido”.

Além do convite para o culto, Flordelis defende seu filho afetivo Carlos, que também é pastor, ele foi preso na última segunda-feira (24) acusado de ser um dos envolvidos no assassinato de Anderson.

No áudio, divulgado pelo jornal O Globo, Flordelis pede para os fiéis não utilizarem as redes sociais para dar “respostas” e afirma que a “batalha” será vencida na oração.

“Nada é permanente. Tudo vai passar. Já já tudo vai ser esclarecido. Vocês vão acompanhar aí todos os esclarecimentos. Pastor Carlos não tem nada a ver com nada, tá bom? É mais uma covardia, é mais um teatro desse povo. Mas nós vamos vencer essa batalha na oração. Ninguém dê resposta nas redes sociais. Não vamos brigar. Essa briga não é nossa. Essa briga é de Deus”, diz Flordelis no áudio.

Além de mencionar Carlos, a deputada avisa que o pastor Gerson Conceição Oliveira estará presente no culto. Gerson, também filho afetivo de Flordelis, está sendo investigado por suspeita de envolvimento na morte de Anderson.

Conforme publicado no jornal O Globo, onze pessoas já foram indiciadas pela polícia e denunciadas pelo MP. Um novo inquérito foi aberto para continuar as investigações sobre o crime.

Jornal Midiamax