Brasil

Com hino e orações, ato pró-intervenção militar diminui e reúne 100 em SP

Ato a favor de intervenção militar reuniu cerca de 100 pessoas, neste domingo (07), na Avenida Paulista, em São Paulo. Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltaram a pedir destituição do STF (Supremo Tribunal Federal) e impeachment do governador João Dória (PSDB-SP). Segundo informações do Portal UOL, os manifestantes portavam bandeiras do Brasil e […]

Gabriel Maymone Publicado em 07/06/2020, às 16h40

Manifestantes oram Pai Nosso após ato em São Paulo. (Imagem: Lucas Borges Teixeira/UOL)
Manifestantes oram Pai Nosso após ato em São Paulo. (Imagem: Lucas Borges Teixeira/UOL) - Manifestantes oram Pai Nosso após ato em São Paulo. (Imagem: Lucas Borges Teixeira/UOL)

Ato a favor de intervenção militar reuniu cerca de 100 pessoas, neste domingo (07), na Avenida Paulista, em São Paulo. Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltaram a pedir destituição do STF (Supremo Tribunal Federal) e impeachment do governador João Dória (PSDB-SP).

Segundo informações do Portal UOL, os manifestantes portavam bandeiras do Brasil e de Israel e se reuniram pelas redes sociais.

“Cadê os patriotas? [Na manifestação do] dia 15 de março, tinham 200 mil. Estão com medo de antifa? Não temeram o coronavírus, vão temer bandido? Temos que defender o país”, gritou um dos manifestantes com a câmera apontada para o rosto, em transmissão ao vivo.

As pautas foram as mesmas de manifestações anteriores: apoio a Bolsonaro, ofensas a ministros do STF, à imprensa e ao governador João Doria (PSDB) e pedidos de intervenção militar. “A única barreira entre nós e o comunismo são as Forças Armadas”, gritava um manifestante aos carros que passavam.

“Eu quero um país livre. Livre do comunismo, livre da corrupção, livre dos bandidos. O presidente foi eleito e não deixam ele governar”, declarou a aposentada Lucia Azevedo. Para ela, só “por meio do Exército” Bolsonaro conseguirá “manter a ordem”.

Jornal Midiamax