Brasil

‘Brincar com a morte é perverso’, diz Maia sobre alteração de estatísticas do coronavírus

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou as alterações feitas pelo Ministério da Saúde na divulgação dos números de mortes pelo novo coronavírus. Desde a última sexta-feira (05), o Ministério da Saúde deixou de divulgar o total de mortes e de casos confirmados. A medida foi alvo de críticas de especialistas e […]

Diego Alves Publicado em 09/06/2020, às 00h15 - Atualizado às 00h20

Rodrigo Maia. (Foto: reprodução/Agência Câmara de Notícias)
Rodrigo Maia. (Foto: reprodução/Agência Câmara de Notícias) - Rodrigo Maia. (Foto: reprodução/Agência Câmara de Notícias)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou as alterações feitas pelo Ministério da Saúde na divulgação dos números de mortes pelo novo coronavírus. Desde a última sexta-feira (05), o Ministério da Saúde deixou de divulgar o total de mortes e de casos confirmados.

A medida foi alvo de críticas de especialistas e parlamentares. Neste domingo, o governo chegou a informar um total de 1.382 mortes vítimas do coronavírus nas últimas 24 horas. Uma hora depois, o portal do ministério alterou os números e divulgou que o total de óbitos confirmados era de 525. Maia criticou a confusão dos números do governo e defendeu o resgate da credibilidade das estatísticas, publicou a Agência Câmara.

“Brincar com a morte é perverso. Ao alterar os números, o Ministério da Saúde tapa o sol com a peneira. É urgente resgatar a credibilidade das estatísticas. Um ministério que tortura números cria um mundo paralelo para não enfrentar a realidade dos fatos”, afirmou o presidente.

Maia disse ainda que a comissão externa da Câmara que debate a pandemia vai se debruçar sobre as estatísticas.

“É urgente que o Ministério da Saúde divulgue os números com seriedade, respeitando os brasileiros e em horário adequado. Não se brinca com mortes e doentes”, criticou Maia. (Informações da Agência Câmara)

Jornal Midiamax