Brasil

Bolsonaro diz que suicídio pode ter sido ‘efeito colateral’ da Coronavac

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (12/11) que um “efeito colateral” da Coronavac pode ter causado o suicídio de um voluntário dos estudos da vacina. Segundo o presidente, esse é um ponto que precisa ser investigado para garantir a segurança da vacina, publicou o site Metrópoles. “Pode ser o efeito colateral da […]

Diego Alves Publicado em 13/11/2020, às 00h04 - Atualizado às 00h25

REPRODUÇÃO/FACEBOOK
REPRODUÇÃO/FACEBOOK - REPRODUÇÃO/FACEBOOK

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (12/11) que um “efeito colateral” da Coronavac pode ter causado o suicídio de um voluntário dos estudos da vacina. Segundo o presidente, esse é um ponto que precisa ser investigado para garantir a segurança da vacina, publicou o site Metrópoles.

“Pode ser o efeito colateral da vacina também. Tudo pode ser. Não sei se já chegaram à conclusão, mas esclarece e volta a pesquisar a vacina, a Coronavac, da China”, disse, durante a live diária que faz nas redes sociais para pedir votos a aliados.

“Estão tentando investigar, porque quando um pessoa comete suicídio geralmente tem um histórico de depressão, a mulher largou ele, o marido largou ela. Uma série de coisas: histórico familiar, perdeu o emprego, perdeu tudo. Vamos apurar a causa do suicídio e daí, obviamente, em sendo suicídio, não tem nada a ver com a vacina”.

Bolsonaro disse ainda que que não “comemorou a morte” do voluntário da Coronavac e que a postagem feita no Facebook, na qual ele disse que era mais uma que ele ganhava do governador de São Paulo, João Doria, era de autoria de outra pessoa.

“A vacina parece que tem alguma coisa esquisita por aí. Não vou falar aqui para evitar polêmica, que estou politizando a questão da vacina”, disse o presidente, ao lado da minsitra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. (Informações do site Metrópoles)

Jornal Midiamax