Brasil

PF realiza operação contra extração ilegal de madeira na Amazônia

A Polícia Federal (PF) realiza nesta quinta-feira, 25, a operação “Arquimedes” que investiga um esquema de corrupção responsável por extração e comércios ilegais de madeira na Amazônia. Foram expedidos 29 mandatos de prisão e 109 de busca e apreensão. Com apoio do Ministério Público Federal, a operação investiga negociações ilícitas entre funcionários de órgão ambiental […]

Jéssica Fernandes Publicado em 25/04/2019, às 10h23 - Atualizado às 10h25

None

A Polícia Federal (PF) realiza nesta quinta-feira, 25, a operação “Arquimedes” que investiga um esquema de corrupção responsável por extração e comércios ilegais de madeira na Amazônia. Foram expedidos 29 mandatos de prisão e 109 de busca e apreensão.

Com apoio do Ministério Público Federal, a operação investiga negociações ilícitas entre funcionários de órgão ambiental estadual, engenheiros ambientais, detentores de planos de manejo e proprietários de empresas madeireiras.

Segundo informações da PF, uma nova tecnologia de utilização de imagens com satélite permitiu monitorar os focos de desmatamento, resultando assim em uma melhor fiscalização e aumento das ações.

Além das ordens de prisão —23 preventivas e 6 temporárias—, foram expedidos 109 mandados de busca e apreensão a serem cumpridos nos Estados do Acre, Amazonas, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Roraima, Rondônia e São Paulo, além do Distrito Federal, assim como a autorização do bloqueio de 50 milhões de reais das empresas investigadas e outras 18 medidas cautelares.

Em curso desde 2017, a investigação já reteve mais de 400 contêineres destinados a grandes comerciantes madeireiros no Brasil, na Ásia, na Europa e nos Estados Unidos, a partir de dois portos da cidade de Manaus que são responsáveis pelo escoamento quase total da produção de madeira extraída da Amazônia Legal.
Os investigados vão responder pelos crimes de falsidade ideológica, falsidade documental, extração e comércio ilegal de madeira, lavagem de bens, direitos e valores, corrupção ativa e passiva, além de constituição de organização criminosa

Com informações da Reuters 

Jornal Midiamax