Brasil

Temer volta atrás e suspende reajuste de servidores para 2020

O presidente Michel Temer decidiu voltar atrás e suspender o reajuste de servidores públicos da União previsto para 2019. Segundo Temer, uma Medida Provisória (MP) será editada, adiando o aumento ajustado para 2020. Com a nova medida, serão economizados R$ 6,9 bilhões. Entretanto, o reajuste para militares e para o Judiciário será mantido, conforme acordo com […]

Egina Becker Publicado em 31/08/2018, às 15h36 - Atualizado às 15h37

Foto: Reprodução.
Foto: Reprodução. - Foto: Reprodução.

O presidente Michel Temer decidiu voltar atrás e suspender o reajuste de servidores públicos da União previsto para 2019. Segundo Temer, uma Medida Provisória (MP) será editada, adiando o aumento ajustado para 2020. Com a nova medida, serão economizados R$ 6,9 bilhões.

Entretanto, o reajuste para militares e para o Judiciário será mantido, conforme acordo com o STF (Supremo Tribunal Federal). O reajuste dos militares custará aos cofres públicos R$ 4,1 bilhões e, ainda, anualmente, o aumento dos magistrados alcançará R$ 1,4 bilhão.

A equipe econômica, representada pelos ministros da fazenda e do planejamento, Eduardo Guardia e Esteves Colnago, apresentou ao presidente nesta sexta-feira (31), em reunião no Palácio do Planalto, o quadro tocante das contas públicas.

Os ministros informaram ao presidente que, se gastos os R$ 6,9 bilhões com reajustes em 2019, as contas públicas não fechariam e gastos com saúde e educação precisariam ser cortados, deixando áreas fundamentais à população sem recurso.

Jornal Midiamax