Brasil

Suspeitos de participar de chacina no Ceará são presos durante enterro

Sete foram presos sob suspeita de participarem de maior chacina do Estado

Joaquim Padilha Publicado em 30/01/2018, às 14h45

None

Sete foram presos sob suspeita de participarem de maior chacina do Estado

Sete suspeitos de participarem da maior chacina da história do Ceará, que terminou em 14 mortos e 16 feridos na periferia de Fortaleza, no último sábado (27), foram presos nesta segunda-feira (29), durante um enterro.

Os suspeitos estavam acompanhando o enterro de uma mulher no cemitério de Pacatuba, na região metropolitana da capital cearense, quando foram detidos pela Polícia Civil.

Dois dos suspeitos foram liberados logo após a prisão, após ser constatado que não tinham relação com os crimes. Outros cinco já estavam sendo investigados pelo envolvimento na chacina, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Ceará.

Com os suspeitos, foram encontradas três armas e munições. Os objetos passarão por perícia para saber se foram utilizados durante a chacina. É a sexta prisão desde a chacina, quando um homem foi preso ainda no sábado portando um fuzil.Suspeitos de participar de chacina no Ceará são presos durante enterro

O caso

A chacina ocorreu em uma casa de shows na periferia de Fortaleza. Três carros com homens fortemente armados entraram atirando no clube onde ocorria um baile. Seis homens e oito mulheres morreram.

O ataque é resultado de uma briga de facções criminosas do Ceará, que disputam o tráfico de drogas na região. Os atiradores pertenceriam ao GDE (Guardiões do Estado), enquanto os alvos eram do CV (Comando Vermelho).

Na segunda (29), outro embate entre criminosos das facções terminou em dez mortos e oito feridos, na Cadeia Pública de Itapajé. O ataque ocorreu após um grupo invadir a área do outro dentro da delegacia. Três detentos estão em estado grave.

Jornal Midiamax