A PRG (Procuradoria Geral de República) pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) a inclusão da delação do operador financeiro Lúcio Funaro no inquérito da investigação que apura se um decreto do presidente Michel Temer foi editado para beneficiar empresas portuárias em troca de propina.

De acordo com o G1, quem analisará o inquérito será o ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso. Essa inclusão permitirá verificar se as delações de Funaro corroboram ou não as suspeitas dos investigadores. Também pode se tornar elemento para embasar eventual denúncia da Procuradoria Geral da República contra Temer nesse caso.

A PF (Polícia Federal) tem até o começo de julho para elaborar em relatório final ou pedir mais prazo novamente. Atualmente, o inquérito está em fase de análise das provas e cruzamento de informações.

Um inquérito que investiga Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral) por suposto recebimento de vantagens da Odebrecht já usou trechos da delação de Funaro.

 

Informações G1