Brasil

Política de preços dos combustíveis será mantida, diz presidente da Petrobras

Decreto para reduzir de imposto sobre diesel está sendo elaborado

Ana Clara Santos Publicado em 29/05/2018, às 14h46 - Atualizado às 14h46

Centro de Distribuição da Petrobras no SIA, Terminal Terrestre de Brasília, onde se armazena e distribui produtos da companhia para os postos de combustíveis do Distrito Federal.
Centro de Distribuição da Petrobras no SIA, Terminal Terrestre de Brasília, onde se armazena e distribui produtos da companhia para os postos de combustíveis do Distrito Federal. - Centro de Distribuição da Petrobras no SIA, Terminal Terrestre de Brasília, onde se armazena e distribui produtos da companhia para os postos de combustíveis do Distrito Federal.

Nesta quarta-feira (29), durante teleconferência com analistas e investidores, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, informou que a política de preços da empresa, que prevê reajustes nos preços dos combustíveis com maior frequência, levando em conta a variação do petróleo no mercado internacional e também a oscilação do dólar. Parente ainda disse que o governo ainda entende a relevância de manter a equação econômica dessa política.

De acordo com a Agência Brasil, o Parente ainda informou que uma equipe da Petrobras, em conjunto com os ministérios da Fazenda, do Planejamento e de Minas e Energia, está elaborando medidas provisórias e um decreto que tratará da redução de impostos sobre o diesel.

O presidente da empresa, ainda informou que na semana passada a empresa apresentou uma proposta de reduzir em 10% o preço do diesel por 15 dias, o que abriu caminho para as negociações com os caminhoneiros. Ele ainda afirmou que naquele momento foi preciso que a empresa tivesse coragem. “Tivemos a responsabilidade e a coragem de fazer reconhecendo o momento em que estávamos vivendo”, indicou.

Em relação a greve dos petroleiros prevista para começar nesta quarta-feira (30), Parente disse que a empresa espera que os funcionários entendam o presente momento. “Desejamos de fato que possamos passar por isso sem maiores consequências para a nossa empresa”.

Parente ainda comparou a situação atual da Petrobras com a que ela atravessou anos atrás e apontou a redução do endividamento, atração de parceiros fortes. O executivo ressaltou ainda a redução de custos da empresa.

Informações Agência Brasil 

Jornal Midiamax