Brasil

‘Não perdemos o controle’, diz Pezão após intervenção federal no RJ

A gente tem que conversar com a prefeitura

Aliny Mary Dias Publicado em 16/02/2018, às 19h29

None

A gente tem que conversar com a prefeitura

Após a assinatura do decreto de intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro em Brasília, o governador Luiz Fernando Pezão afirmou, em entrevista à Globonews, que o estado não perdeu o controle no combate à violência.

“Não vejo assim. Não perdemos esse controle. Vemos um aumento forte da criminalidade, em áreas que precisamos muito da ajuda do Exército, da Marinha, na área das Baías. A gente está vivenciando um momento muito difícil, que só as nossas forças de segurança não dão vazão a tantas demandas. Eu vinha pedindo sempre a GLO mais ampliada. A gente sozinho não está dando vazão. Não dá para patrulhar a Rio-Santos, a Rio-Teresópolis, a Baía de Guanabara, a Baía de Sepetiba”, explicou o governador. Ele disse ainda que não foi uma decisão de Temer. “Eu pedi auxílio, não me senti diminuído”.

Ao falar sobre a violência mostrada durante o carnaval, o governador ressaltou que é necessário também cobrar da administração municipal. Em entrevista na quarta-feira (14), ele confirmou que o Rio não conseguiu controlar problemas de violência no carnaval.

“Sempre soube da violência, e sempre pedi ajuda desde abril de 2014. É a primeira vez que o presidente aceita esse desafio de assumir o comando de estado. Isso foi muito discutido durante muito tempo. Quando falei que houve falha, é porque o que vocês mostraram é verdade. Os números do nosso carnaval foram menores que os do ano passado. A gente não se preparou ali, eu não sei se foi na organização de blocos. A gente tem que conversar com a prefeitura, mais de 200 blocos sem autorização. A gente tem que controlar essa festa”, explicou ele.

Jornal Midiamax