Brasil

Mãe que matou a filha por se irritar com choro é condenada a 24 anos de prisão

Uma mulher acusada de asfixiar a própria filha por se irritar com o choro da criança foi condenada nessa segunda-feira (23), pela justiça de Minas Gerais a 24 anos prisão. O crime aconteceu em 2016, na cidade de Belo Horizonte. Nos depoimentos iniciais, a mãe, Jéssica Nunes, afirmou que o bebê tinha engasgado com leite, […]

Tábata Rauschkolb Publicado em 24/07/2018, às 11h17

O juiz Thiago Colnago Cabral lê a sentença de Jéssica (Foto:Reprodução/TJ-MG)
O juiz Thiago Colnago Cabral lê a sentença de Jéssica (Foto:Reprodução/TJ-MG) - O juiz Thiago Colnago Cabral lê a sentença de Jéssica (Foto:Reprodução/TJ-MG)

Uma mulher acusada de asfixiar a própria filha por se irritar com o choro da criança foi condenada nessa segunda-feira (23), pela justiça de Minas Gerais a 24 anos prisão.

O crime aconteceu em 2016, na cidade de Belo Horizonte. Nos depoimentos iniciais, a mãe, Jéssica Nunes, afirmou que o bebê tinha engasgado com leite, mas depois admitiu ter asfixiado a criança.

Jéssica foi julgada no 1º Tribunal do Júri, e segundo informações do Tribunal ela chegou a dizer para polícia que a filha havia engasgado com leite, mas depois confessou ter sufocado a criança porque ela não parava de chorar mesmo após ter sido alimentada.

Os sete jurados reconheceram a ocorrência de homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), com isso o juiz Thiago Colnago Cabral arbitrou a pena em 24 anos de prisão em regime inicial fechado.

De acordo com a assessoria do Tribunal, a mãe afirmou ter ouvido vozes mandando que ela tampasse o nariz e a boca da filha.

Segundo o advogado de Jéssica, ela foi diagnosticada com depressão e esquizofrenia e toma remédios controlados. Ele informou que vai recorrer da decisão para pedir a diminuição da pena.

Jornal Midiamax