Brasil

Lula chega e Porto Alegre para: medo de depredações faz lojas fecharem

Foi recebido por parlamentares e integrantes dos diretórios 

Diego Alves Publicado em 23/01/2018, às 21h15

None

Foi recebido por parlamentares e integrantes dos diretórios 

Os manifestantes pró-Lula saíram em marcha do acampamento Anfitiatro Pôr do Sol rumo a, Esquina Democrática, tradicional ponto de mobilizações populares no centro da capital gaúcha. Ali, o ex-presidente fará um pronunciamento ao início da noite desta terça-feira (23).Lula chega e Porto Alegre para: medo de depredações faz lojas fecharem

O petista chegou a Porto Alegre, pouco antes das 17h, e foi recebido por parlamentares e integrantes dos diretórios regional e nacional do Partido dos Trabalhadores (imagem abaixo). Por volta das 18h17, ele chegou à Esquina Democrática e subiu ao carro de som.

O ato foi aberto pelo cantor Chico César. A presidente Nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, o ex-ministro da Saúde do governo Dilma Rousseff Alexandre Padilha e a própria ex-presidente da República discursaram antes de Luiz Inácio Lula da Silva.

Mais cedo, durante a marcha da militância entre o acampamento montado na capital gaúcha e o local do ato com o ex-presidente, o comércio da cidade fechou as portas. Comerciantes temiam que houvesse quebra-quebra. Várias lojas encerraram as atividades antes das 17h (o horário normal é 19h).

Gerente de uma loja de enxoval de bebê, Romancir Alves da Costa, 47 anos, teme que o estabelecimento seja alvo de depredação caso os manifestantes pró-Lula esbarrem com eleitores contrários ao petista.

“Já vimos eles quebrando tudo em outros estados. Melhor perder um pouco de dinheiro e fechar mais cedo do que correr o risco de um prejuízo material muito grande”, afirmou Romancir da Costa.

Os comerciantes resolveram finalizar o dia de trabalho em seus estabelecimentos, desesperados com a aproximação da chamada “onda vermelha”. As agências bancárias protegeram suas portas com grades e tapumes de madeira, também temendo depredações. Os próprios policiais da Brigada Militar orientavam os lojistas que ainda mantinham seus estabelecimentos abertos a fechar as portas imediatamente, por motivo de segurança, durante a caminhada petista.

Jornal Midiamax