Brasil

Delegados da PF criticam declaração de Temer

A ADPF afirmou que “não pode admitir pressão sobre a PF”

Tábata Rauschkolb Publicado em 28/04/2018, às 13h52 - Atualizado às 13h53

None

A ADPF (Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal) emitiu uma nota à imprensa na noite dessa sexta-feira (27) afirmando que as manifestações públicas não podem gerar uma pressão indevida sobre a Polícia Federal e que é “comum que investigados e suas defesas busquem, por todos os meios, contraditar as investigações”.

A nota se refere ao pronunciamento do presidente da república Michel Temer nessa sexta-feira (27), onde afirma que a investigação em andamento da Polícia Federal é “ perseguição criminosa disfarçada de investigação”, o presidente ainda afirma que “só um irresponsável mal-intencionado ousaria tentar me incriminar, a minha família, minha filha, meu filho, de nove anos de idade como lavadores de dinheiro” afirmou Temer.

A ADPF ainda ressalta que “a instituição não protege, nem persegue qualquer pessoa ou autoridade pública, apenas cumpre seu dever legal de investigar fatos e condutas tipificadas como crimes” e que não irá admitir tentativas de desacreditar os delegados do caso, em nota.

“A entidade seguirá vigilante com o desenrolar dos acontecimentos e não admitirá pressões ou campanhas com a finalidade de desacreditar a atuação dos Delegados de Polícia Federal na condução dessa ou de qualquer outra investigação”

Jornal Midiamax