Brasil

Com 258 presentes, Câmara começa a discutir decreto de intervenção

Medida entrou em vigor a partir da canetada de Temer

Diego Alves Publicado em 19/02/2018, às 23h33

None

Medida entrou em vigor a partir da canetada de Temer

A Câmara dos Deputados terá a missão, na noite desta segunda-feira (19/2), de apreciar o decreto editado na última sexta (16) pelo presidente Michel Temer para colocar a Segurança Pública do Rio de Janeiro sob intervenção federal. A medida entrou em vigor a partir da canetada de Temer, mas ainda carece do aval dos parlamentares. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, acompanha a sessão desta noite: ao chegar ao prédio do Congresso Nacional, ele concedeu entrevista, explicando detalhes da intervenção e da ação deflagrada nesta noite, no Rio, para coibir roubos de carga.Com 258 presentes, Câmara começa a discutir decreto de intervenção

A votação do decreto estava marcada para ter início às 19h. Mas o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), só assumiu os trabalhos, abrindo a ordem do dia, por volta das 20h33, quando o quórum de presentes chegou a 258 parlamentares (era exigida presença de 257). Rapidamente o número de deputados em plenário começou a subir e, pouco antes das 21h, já eram 361.

A oposição se mantém firme na decisão de obstruir a sessão e não deixar o texto ser votado. No entanto, a tendência é de que o Planalto consiga maioria para aprovar o decreto presidencial. O decreto será aprovado se a maioria simples assim votar. Caso isso ocorra, nesta terça-feira (20) a matéria será apreciada no plenário do Senado.

Jornal Midiamax