Brasil

Cármen Lúcia defende a democracia em sessão do STF

Ministra disse que não se pode esquecer como é viver em um país sem direitos

Ana Clara Santos Publicado em 30/05/2018, às 14h27

None

Nesta quarta-feira (30), na abertura da sessão no STF (Supremo Tribunal Federal), a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, fez um pronunciamento no qual citou o momento político e social que passa o Brasil. Ela defendeu a democracia dizendo que esse é o caminho legótimo para o país buscar as soluções para os problemas atuais.

De acordo com o G1, em seu discurso, a ministra não falou diretamente sobre a paralisação nacional dos caminhoneiros, ou sobre os manifestantes que, nos últimos dias, pediam pela intervenção militar.

A ministra lembrou que também há momentos difíceis na democracia e ela não está em discussão porque não tem caminho a ser escolhido. “Também as democracias vivem crises, mas dificuldades se resolvem com a aliança dos cidadãos, e a racionalidade, objetividade e trabalho de todas as instituições, de todos os poderes. A democracia não está em questão […] Não há escolha de caminho. A democracia é o único caminho legítimo”.

Ela ainda ressaltou que a sociedade não pode esquecer de como é viver em um país sem direitos. “Não temos saudade senão do que foi bom na vida pessoal e em especial histórico de nossa pátria. Regimes sem direitos são passados de que não se pode esquecer, nem de que se queira lembrar”, disse Cármen.

Informações G1

Jornal Midiamax