Brasil

‘Fora Temer’ ou ‘Lula livre’: carimbar dinheiro é crime, mas notas não perdem valor

O Bacen (Banco Central) divulgou na quarta-feira (3) que notas com rabiscos, símbolos ou quaisquer marcas estranhas continuam com valor e podem ser trocadas ou depositadas na rede bancária.

Guilherme Cavalcante Publicado em 03/05/2018, às 09h38 - Atualizado às 14h53

Boatos no WhatsApp afirmam que não se deve receber as notas supostamente danificadas (Reprodução)
Boatos no WhatsApp afirmam que não se deve receber as notas supostamente danificadas (Reprodução) - Boatos no WhatsApp afirmam que não se deve receber as notas supostamente danificadas (Reprodução)

O Bacen (Banco Central) divulgou na quarta-feira (3) que notas com rabiscos, símbolos ou quaisquer marcas estranhas continuam com valor e podem ser trocadas ou depositadas na rede bancária. O comunicado, divulgado nas redes sociais do Bacen, responde a boatos que tomaram corpo em grupos de WhatsApp no dia 1º de maio, afirmando que notas carimbadas com a imagem do ex-presidente Lula perderiam valor.

O boato que ganhou as redes e comunicadores afirmava que supostos correligionários do ex-presidente recebiam cédulas de dinheiro e carimbavam-nas com a imagem de Lula e os dizeres “Lula Livre”. Outros vídeos mostravam pessoas, com identidades não reveladas, carimbando a mensagem “Fora Temer” nas notas (veja vídeo).

Tão logo o vídeo viralizou, foi iniciada uma campanha para que as notas não fossem aceitas no comércio e que a polícia fosse acionada contra portadores das notas, a fim de que fossem enquadrados por suposto crime federal de “rasura de papel-moeda”.

De fato, rasurar ou danificar intencionalmente cédulas de dinheiro podem ser considerados crime, conforme o artigo 163 do Código Penal, que versa sobre danos. Mas, seria pouco provável que alguém pudesse ser preso por portar uma nota danificada, conforme sugere o boato. Vale lembrar que não há comprovação da autoria do vídeo das notas carimbadas.

Boato comprovado

O site ‘Boatos.org’, especialista em desvendar boatos e fake news na internet, aponta que o vídeo e as mensagens comumente divulgadas junto à produção também trazem fortes elementos de boatos na internet.

'Fora Temer' ou 'Lula livre': carimbar dinheiro é crime, mas notas não perdem valor
Comunicado do Bacen nas redes sociais (Reprodução)

“Para além disso, o texto segue muitas das características de boatos online: vago, alarmista e com erros de português. A mensagem cita como fonte o ‘banco Central’. Tentamos procurar pela tal ‘divulgação’ do BC no site oficial da instituição e nada encontramos”, traz publicação.

Na quarta-feira, foi a vez do Bacen reforçar que, por mais que danificar notas não seja correto, elas continuam a ter valor e serão posteriormente substituídas.

“Cédulas com rabiscos, símbolos ou quaisquer marcas estranhas continuam com valor e podem ser trocadas ou depositadas na rede bancária. As notas descaracterizadas apresentadas na rede bancária serão recolhidas ao Banco Central, para destruição. O Banco Central incentiva a que as cédulas sejam preservadas, afinal a fabricação de cédulas e moedas gera custos para o País e sua reposição elevará ainda mais esse custo”, traz o comunicado.

Jornal Midiamax