Brasil

Vídeo mostra mulher seminua dançando em cela de presídio de Pernambuco

Autenticidade do vídeo foi confirmada nesta terça-feira (4)

Henrique Kawaminami Publicado em 04/04/2017, às 14h37

None
Foto: Reprodução/Youtube

Autenticidade do vídeo foi confirmada nesta terça-feira (4)

Um vídeo vem sendo compartilhado nas redes sociais nesta segunda-feira (3), que mostra uma mulher seminua dançando em uma festa de detentos da Penitenciária Barreto Campelo, na ilha de Itamaracá, no Recife. A autenticidade do vídeo foi confirmada nesta terça-feira (4) pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) e pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE).

No vídeo de pouco mais de um minuto, mostra no local uma televisão de tela plana e pode se ouvir música alta. Um homem aparece tirando a parte debaixo da roupa íntima da mulher que está de pé em cima de uma cadeira, dançando cercada por homens. Ao final do vídeo, ela desce da cadeira e dança para um dos detentos, que está deitado. Nesse momento, outro preso bate no corpo da mulher. Além do homem que fez o vídeo, é possível ver ao menos mais um detento com o celular na mão, registrando a cena.

Pelo menos nove presos participam da festa, regada a algo que parece vinho. "O bagulho é doido", diz o detento responsável pelas imagens.

De acordo com o G1, procurado pela reportagem para comentar o caso, o secretário de Justiça e Direitos Humanos do Governo de Pernambuco, Pedro Eurico disse se tratar de uma prostituta que entrou na unidade e participou de um ato de pornografia. "Já identificamos os presos, que sofrerão progressão de pena. Um processo administrativo também será instaurado, e iremos identificar a mulher que aparece nas imagens", declarou o secretário.

Segundo notíciado pelo Folha de Pernambuco, a Seres afirmou, por meio de nota, que "após análise das imagens do vídeo, verificou que o material foi gravado no ano passado e os reeducandos e a visitante que aparecem nas imagens foram identificados". Os presos identificados vão ser transferidos e foi aberto um procedimento administrativo para investigar o caso. Além disso, a mulher deve ter a carteira de visitante recolhida.

Em nota oficial emitida à imprensa pelo Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), o órgão alega que o sistema penitenciário sofre com a superpopulação carcerária. O déficit chega a mais de 18.918 vagas, enquanto a população carcerária chega a 29.885 presos e apenas 10.967 vagas.

A nota menciona ainda o problema o grande número de guaritas desativadas. "As unidades encontram-se com mais de 60% das guaritas do sistema prisional pernambucano desativadas. Isso possibilita a entrada de ilícitos por cima do muro", diz a nota. A falta de efetivo policial e equipamentos como scanners corporais para revista no dia de visitas também dificulta a prevenção desse tipo de ocorrência. A escassez de agentes penitenciários também preocupa, pois o déficit chega a mais de 4 mil agentes.

Jornal Midiamax