Brasil

Maior contratação de publicidade do governo Temer é acusada de direcionamento

Licitação foi suspensa para auditoria interna

Joaquim Padilha Publicado em 08/05/2017, às 11h20

None
banco_do_brasil.jpg

Licitação foi suspensa para auditoria interna

No último dia 20 de abril, o jornal Folha de S. Paulo Trouxe um anúncio da empresa de publicidade Multi Solution, em que a mesma revelava que seria a ganhadora de uma licitação para atender às agências do Banco do Brasil. O resultado da licitação, entretanto, só se tornou público quatro dias depois.

A licitação é a de maior valor já realizada no governo Temer. A Multi Solution deverá gerenciar a publicidade do Banco do Brasil pelos próximos doze meses, por R$ 500 milhões. Com até cinco prorrogações previstas, a empresa pode receber R$ 2,5 bilhões, sem contar com reajustes.

O Banco do Brasil suspendeu a licitação, após publicação de reportagem da Folha, e instaurou auditoria do resultado até concluir investigações sobre o que teria levado à antecipação do resultado da licitação.

A suspeita de direcionamento tem como base o fato de que a Multi Solution recebeu notas maiores no processo de concorrência pelo contrato do que as outras empresas candidatas, Heads e Calia.

De acordo com reportagem da Folha, as outras duas empresas teriam recebido as mesmas críticas que a Multi Solution nos itens “capacidade de atendimento” e “soluções para problemas de comunicação”. 

Mesmo assim, a Multi Solution teria conseguido notas maiores que as outras duas. No final da licitação, a empresa foi classificada com 91,58 pontos, seis a mais do que a segunda colocada.

O presidente da agência, Pedro Queirolo, negou que houve direcionamento. “De forma alguma”, disse à Folha. “Acreditamos que o novo momento que nosso país enfrenta é uma oportunidade para desenvolver um trabalho sério e competente no setor público”.

O Banco do Brasil afirma que a abriu o processo de auditoria interna sobre a licitação, que só será homologada ao fim do processo de apuração de possíveis irregularidades.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax