Brasil

Justiça fecha presídio em Santa Catarina por superlotação e condições precárias

Após cinco anos de pedidos de melhoria

Ana Paula Chuva Publicado em 26/06/2017, às 17h49

None

Após cinco anos de pedidos de melhoria

O Presídio Regional de Joinville foi interditado pela Justiça de Santa Catarina por superlotação e condições precárias aos detentos. A decisão foi proferida pelo juiz João Marcos Buch, titular da 3ª Vara Criminal e corregedor do sistema prisional da comarca.Justiça fecha presídio em Santa Catarina por superlotação e condições precárias

O magistrado já havia levantado a possibilidade de interditar a unidade em abril, depois que fez uma visita de inspeção ao presídio. Na oportunidade, Buch identificou problemas como estruturas comprometidas, esgotos abertos, falta de roupas e de materiais de higiene, e insalubridade nos alojamentos dos agentes penitenciários.

O juiz destacou que o local, com capacidade para 580 presos, estava abrigando mais de 810 detentos.

Em maio, foi a vez da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) emitir parecer negativo sobre as condições da unidade. Além dos problemas já elencados em abril, a entidade identificou presos condenados cumprindo pena no presídio, quando deveriam estar detidos na Penitenciária Estadual de Joinville.

A decisão judicial que interdita o Presídio Regional de Joinville proíbe que novos presos sejam detidos na unidade enquanto os problemas não forem resolvidos pelo Deap (Departamento de Administração Prisional).

A Secretaria de Justiça e Cidadania de Santa Catarina informou que só irá se manifestar sobre o assunto após receber o documento com a decisão.

Jornal Midiamax