Capitais amanhecem com bloqueios, paralisações e conflitos com Polícia

Advogado foi baleado no RN e bloqueios atingem 16 pontos em SP
| 28/04/2017
- 15:23
Capitais amanhecem com bloqueios, paralisações e conflitos com Polícia

Advogado foi baleado no RN e bloqueios atingem 16 pontos em SP

As principais capitais brasileiras amanheceram nesta sexta-feira (28) sem transporte público, por decisão de movimentos da Geral marcada para esta data, que também incluem escolas, bancos e hospitais. A mesma situação se repete em Campo Grande.

Em São Paulo, houve confronto entre policiais militares e manifestantes na região da avenida São João, zona central da capital. Houveram bloqueios de vias em 16 pontos da cidade até o momento.

No Rio Grande do Norte, um advogado foi baleado em Natal, capital do Estado, enquanto participava de um protesto. O autor dos tiros foi um trafegante que tentava furar o bloqueio dos manifestantes, na BR-406, quando se irritou, desceu do carro, sacou uma arma e atirou. Ele está foragido.

No Rio de Janeiro o município também teve bloqueios em seis pontos. Porém o metrô e os trens da cidade estão estão funcionando normalmente.Os sistemas de barca e de transporte VLT também foram trancadas.

Em Brasília os ônibus ficaram nas estações na madrugada desta sexta. O metrô também foi fechado, assim como pistas de acesso ao aeroporto da capital.

Em Manaus, os ônibus parados ficaram enfileirados no centro da cidade, porém parte do transporte rodoviário funciona, por decisão da Justiça Amazonense. Há manifestações com carros de som e faixas. 

Em Belo Horizonte as paralisações são parciais: o metrô não funciona, porém parte dos ônibus circulam normalmente. Rodovias foram fechadas e manifestantes queimaram pneus em frente à UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Já em Salvador, manifestantes bloquearam a avenida Antônio Carlos Magalhães e a BR-324. Ônibus não circulam na capital baiana, mas o metrô opera normalmente.

Em Porto Alegre, ônibus metropolitanos não trafegam, assim como transportes fluviais. Houve queima de pneus em avenidas no Centro. 

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Veja também

Investigação pode começar em agosto, mesmo mês de início da campanha eleitoral do presidente Jair Bolsonaro.

Últimas notícias