Brasil

Após apagar grafites, prefeito João Doria lança Museu de Arte de Rua

Projeto custará R$ 800 mil e usará 150 artistas

Ana Paula Chuva Publicado em 27/01/2017, às 18h02

None
grafite-para-doria.jpg

Projeto custará R$ 800 mil e usará 150 artistas

O prefeito João Doria anunciou na manhã dessa quinta-feira (26), a criação do projeto Museu de Arte de Rua, em São Paulo. O projeto usará mão de obra de 150 artistas que serão selecionados pela Secretaria de Cultural e custará R$ 800 mil entre cachês e materiais.

Segundo o G1, as pinturas devem começar no Baixo da Augusta, no começo do mês de março, e devem ser feitas em fachadas que fiquem entre o Centro e a Rua Dona Antonia de Queirós. E depois serão realizadas em bairros da Capital.

A Secretaria da Cultura criará uma comissão para selecionar os artistas. Doria disse que o objetivo é valorizar o trabalho dos grafiteiros e muralistas. “Para que tenham a oportunidade de expor e valorizar sua arte, de forma ampla e livre, porém sob organização”.

Ainda de acordo com o G1, o anúncio do projeto foi feito durante ato de entrega da reforma do monumento em homenagem aos 80 anos da imigração japonesa, na Avenida 23 de Maio.

Durante o evento, o prefeito chamou os pichadores de "detratores" que "não merecem respeito da população" e disse que sua "perseverança" só aumenta a cada nova pichação. "Eu vou atrás deles", afirmou.

Outro projeto
O local onde os grafites foram apagados, na Avenida 23 de Maio, receberá um outro projeto, segundo Doria. O teor não foi revelado. Apenas que não receberá mais grafites.

Jornal Midiamax