Brasil

Presidente da JBS-Friboi presta depoimento sobre fraude em fundos de pensão

Ex-tesoureiro do PT e empresários também são alvo

Norberto Liberator Publicado em 05/09/2016, às 13h46

None
wesley.jpg

Ex-tesoureiro do PT e empresários também são alvo

O presidente da indústria frigorífica JBS e sócio da holding J&F, Wesley Batista, está em São Paulo, onde presta depoimento para a Polícia Federal por investigações na Operação Greenfield. A ação apura esquemas de pagamento de propina nos maiores fundos de pensão do País.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a PF cumpre mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira (5) contra Wesley e seu irmão Joesley, dono da J&F. A assessoria do grupo, citada pela revista Exame, afirma que há cerca de uma semana Joesley não está no Brasil.

Os agentes cumprem 127 mandados em oito estados e no Distrito Federal. Wesley foi levado para prestar depoimento sob condução coercitiva. O jornal O Estado de S. Paulo afirma que, além dos irmãos Batista, outros alvos são o ex-tesoureiro do PT João Vaccari, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e o fundador e CEO da Wtorre, Walter Torre Junior.

O grupo J&F publicou uma nota, onde apresenta sua versão do caso:

"A respeito da presença da Polícia Federal hoje nas sedes da J&F e da Eldorado por ocasião da operação Greenfield e que investiga os investimentos dos fundos de pensão por meio dos FIPs (Fundos de Investimentos em Participações), a empresa esclarece que os investimentos feitos pela Petros e Funcef na Eldorado foram de R$ 550 milhões no ano de 2009.

De acordo com ultimo laudo independente (Deloitte) emitido em dezembro de 2015, a participação dos fundos atualizada é de R$ 3 bilhões, ou seja 6 vezes o valor investido inicialmente. A J&F e seus executivos esclarecem que colaboram com as investigações e estão à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários”.

Jornal Midiamax