Brasil

‘Ele não merece perdão’, diz mulher agredida por marido de delegada

Luiz Felipe Neder também agrediu outro rapaz no local, e tem várias passagens pela polícia

Henrique Kawaminami Publicado em 19/12/2016, às 11h40

None
agressao1.jpg

Luiz Felipe Neder também agrediu outro rapaz no local, e tem várias passagens pela polícia

O vídeo de um homem agredindo brutalmente uma segurança neste sábado (17) na cidade de Três Corações, Sul de Minas, continua repercutindo pelo país. “Ele não merece perdão”, disse Edvânia Nayara Rezende, de 23 anos, que tentava prestar socorro à esposa do suspeito, identificado pela PM como o comerciante Luiz Felipe Neder Silva.

"Quando ele veio para cima de mim, eu fiquei com medo. Tanto que eu encostei no carro e foi por isso que ele conseguiu me acertar. Eu não tinha para onde fugir. Mas quando eu caí no chão, eu queria voar nele. Eu só não parti para cima dele porque não deixaram", relembra. "Não importa se ele estava bêbado. Não tem como justificar o que ele fez", afirma sobre o agressor, que foi autuado pela Polícia Civil por lesão corporal e permanecia preso neste domingo (18) no Presídio de Três Corações.

Imagens da agressão divulgadas em redes sociais e na internet mostram o momento em que a vítima é abordada pelo homem. O homem pede a chave do carro, que havia sido jogada para a segurança pela delegada, que queria evitar que o marido dirigisse.

"O carro dele passou por mim", relembra Edvânia, que estava em uma área próxima à piscina do clube. "Nisso, ele parou mais à frente. Eu não sei se ela pulou do carro, mas ele desceu atrás dela e começou a puxá-la pelo cabelo para que ela entrasse no carro. Aí eu saí atrás e disse que iria chamar a polícia. Foi então que ela jogou a chave do carro para mim. Eu me livrei da chave e ele veio me dizer que estava com vergonha dela, que queria levá-la para casa, mas, como eu neguei entregar a chave, ele me bateu", afirma.

Após gritar com a segurança, Luiz Felipe desfere um soco no rosto dela. Edvânia cai, é puxada pelos cabelos e leva um chute na altura da cabeça. Só então o agressor se afasta e a vítima é amparada por algumas pessoas. Ele é preso minutos depois pela Polícia Militar.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado pela Polícia Militar por volta das 18h, a mulher do suspeito, identificada como Ana Paula Kich Gontijo, de 44 anos, saiu do local antes da chegada dos policiais. No entanto, o boletim informa que ela entrou em contato com a PM cerca de 1h depois confirmando ter sido agredida.

Emprego havia sido conquistado há pouco tempo

Edvânia se tornou segurança há um mês, depois de vender sua parte na sociedade de uma lanchonete. Ela sabia dos riscos, mas nunca pensou que vivenciaria uma situação como a de sábado.

"Nunca sofri qualquer tipo de agressão. A gente sabe que, quando está em um trabalho assim, tudo pode acontecer, mas a gente nunca acha que vai ser com a gente. Agora eu estou me recuperando, depus na delegacia, fui medicada. Tô com o corpo bem inchado ainda. Se ele [o agressor] está acostumado a bater em mulher, comigo é diferente. Não vou deixar ficar por isso mesmo", garante a segurança.

Agressor ainda quebrou dentes de outra pessoa

Imagem divulgada mostra o agressor com Ana Paula Gontijo, que é delegada e seria esposa de Felipe (Divulgação)O motorista de caminhão Enioberto José de Jesus, de 30 anos, também disse ter sido agredido pelo comerciante. Ele estava de saída do local quando se deparou com Edvânia caída no chão, recebendo um chute.

"Ele estava chutando o rosto dela. Foi quando ele saiu de perto dela e sacou um canivete para um outro segurança. Eu fui pedir para ele acalmar, porque ele estava muito nervoso. Aí eu fui sair de perto. Quando eu saí de perto, que eu virei para buscar meu carro, ele foi e me acertou um murro de lado, pegou eu costas, saindo assim e me acertou um murro na boca." conta o motorista. Enioberto perdeu dois dentes.

Segundo Fabiana Custódio, de 21 anos, que também é segurança do clube e foi sócia de Edvânia, o agressor e a mulher não era sócios do local e estavam lá a convite de um aniversariante. Ela se lembra que a colega pediu apoio pelo rádio-comunicador. "Ela disse que um casal estava brigando na direção do estacionamento e que o homem batia muito na mulher. Depois disso, minha colega não respondeu mais. Quando cheguei lá, ela já estava no chão."

Por telefone, a direção do Clube Atalaia, onde as agressões ocorreram, disse que não iria se pronunciar sobre o caso neste domingo. Na Delegacia de Polícia Civil, ninguém quis comentar sobre as investigações.

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), divulgou nota em repúdio ao episódio. "Edvania jovem agredida violentamente por um covarde em Três Corações. Como Edvania, que cumpria bravamente seu papel como agente de segurança, cerca de 130 mil mulheres em Minas Gerais sofrem com a violência de gênero. Temos de colocar fim a essa triste, lamentável e doída estatística."

Pimentel orienta a quem sofre esse tipo de agressão. "Procure uma delegacia da mulher ou denuncie, de forma anônima, pelo Disque 100. Isso vale também para os homens – a violência contra a mulher é um problema nosso – que tenham conhecimento de casos como o que vimos em Três Corações. Não seja conivente".

Luiz Felipe Neder Silva tem várias passagens pela polícia, todas por agressão. Em julho deste ano, um funcionário de uma olaria registrou queixa contra ele por lesão corporal. Em 2014, o comerciante também se envolveu em uma briga e ameaçou um morador da cidade. A outra ocorrência de lesão corporal foi registrada em maio de 2011, quando a vítima foi um funcionário dele.  

Jornal Midiamax