Brasil

Doação de R$ 75 milhões à cadidata de PE foi erro de digitação

Técnico contábil assumiu a culpa pelo erro

Henrique Kawaminami Publicado em 19/10/2016, às 12h21

None
geni-fo54564to.png

Técnico contábil assumiu a culpa pelo erro

A doação de R$ 75 milhões feita a candidata a vereadora Santa Cruz da Baixa Verde, em Pernambuco, foi um erro de digitação. A quantia seria a maior doação segundo o TSE.

O técnico contábil, Advilson Florentino de Souza, disse que foi o responsável pela prestação de contas e a quantia doada foi de R$ 750.

"Quem errou fui eu e não a candidata. A culpa foi minha. Na verdade, a doação era de R$ 750 reais e quando fui fazer a prestação de contas acabei errando a digitação", afirmou o técnico contábil. Segundo Souza, mesmo que ela tivesse rDoação de R$ 75 milhões à cadidata de PE foi erro de digitaçãoecebido o dinheiro não poderia ter utilizado, já que o limite de gasto para um candidato a vereador no município era de R$ 10.803,91.

A informação da doação dos mais de R$ 75 milhões consta no site do Tribunal Superior Eleitoral. Conforme o TSE, não há informações sobre despesas da candidata. A única doação feita a ela é que está com o suposto erro e consta do dia 30 de setembro.

Ele disse que levou o caso à Justiça Eleitoral no município, notificou o erro e corrigiu a informação na prestação de contas da candidata. "Questionei à Justiça o porque de terem visto o erro e não ligarem. Eles mesmos não tinham constatado o erro, só viram após a repercussão", explicou.

Responsabilidade do candidato

O TRE-PE por meio de em nota disse qye "as informações constantes das prestações de contas dos candidatos e enviadas à Justiça Eleitoral, seja na forma de 'relatório financeiro', seja na forma de 'relatório parcial' são de inteira responsabilidade dos candidatos e de suas assessorias".O que é registrado na prestação de contas dos candidatos não sofre, de forma prévia, tratamento pela Justiça Eleitoral antes de serem enviadas ao Tribunal de Conta da União.

"Elas podem conter erros formais de lançamento os quais podem ser perfeitamente retificados pelo candidato. A legislação eleitoral acolhe a retificação de prestação de contas. Ademais, as contas finais podem ser apresentadas até o dia 1º de novembro", explicou a nota.

Doação de R$ 75 milhões à cadidata de PE foi erro de digitação

Maria Geni do Nascimento, ou como se apresentou aos eleitores, Geni (PDT), foi candidata a vereadora no município de Santa Cruz da Baixa Verde, de 12 mil habitantes, a 450 quilômetros de distância de Recife, no sertão de Pernambuco. Ela tem ficha limpa e ao TSE entregou certidões ao TSE mostrando que não tem crimes em seu currículo, trabalha como agricultora e que não concluiu o ensino médio.

Geni não tem nenhuma despesa registrada na contabilidade que apresentou ao TSE. No Portal da Transparência do Governo Federal consta o nome de Maria Geni do Nascimento como beneficiária de 91 reais mensais do Bolsa-Família.

A página do TSE informa que Geni teve 13 votos e foi eleita suplente de vereadora.

Jornal Midiamax