Brasil

Antes de descumprimento, ministra sinalizou urgência em julgamento de Renan

‘Tudo que for urgente para o país, eu pautarei com urgência’, garantiu

Midiamax Publicado em 06/12/2016, às 18h42

None
carmem.jpg

‘Tudo que for urgente para o país, eu pautarei com urgência’, garantiu

A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), ministra Cármen Lúcia, afirmou nesta terça-feira (6), não ter conhecimento do pedidoapresentado pelo partido Rede Sustentabilidade, a favor do afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado, mas garantiu que não foi uma decisão fora do comum. Segundo ela, o assim que o ministro Marco Aurélio deliberar sobre recurso interposto pela Advocacia Geral do Senado Federal, irá levar o caso para Plenário. “Tudo que for urgente para o país, eu pautarei com urgência”, garantiu.

As falas foram feitas nesta manhã, antes da mesa diretora do Senado, presidida por Renan Calheiros (PMDB-AL), decidir pelo não cumprimento de liminar concedida pelo STF, que determinou afastamento imediato do peemedebista da presidência. A ministra havia sinalizado celeridade no julgamento e negou conflito entre os Poderes diante de decisões como esta do afastamento de Renan. “Os Poderes atuam de forma harmônica”, disse.

Como prova desta harmonia, ela lembrou a reunião realizada há cerca de um mês entre os chefes dos três Poderes da União para tratar da segurança pública. “Não vejo motivos para qualquer tipo de retaliação. Não acredito que detentores de cargo público pensem assim”, afirmou.

Segundo informações do STF, para a ministra Cármen Lúcia, o fato de presidentes da República, do Senado Federal e da Câmara dos Deputados terem sido afastados do cargo neste ano é um teste para a dinâmica das instituições democráticas do Brasil. No entanto, ela não vê fragilidade nas instituições. “Valorizo a política, que é imprescindível para todos”, afirmou. A ministra ainda não se manifestou após decisão do Senado de não cumprir o afastamento imediato de Renan.

Jornal Midiamax