Brasil

À frente do STF, Carmen Lúcia não quer ser chamada de presidenta

Ministra diz que é 'amante da língua portuguesa'

Midiamax Publicado em 10/08/2016, às 20h06

None
15227241.jpeg

Ministra diz que é 'amante da língua portuguesa'

A ministra Carmen Lúcia foi eleita hoje (10) para o comando do STF (Supremo Tribunal Federal). E presidente é como ela quer ser chamada: a ministra alegou que é amante da língua portuguesa, e que não quer ser chamada de presidenta. “Fui estudante e sou amante da Língua Portuguesa. Então é presidente”.

Carmen Lúcia deve ficar a frente do STF pelos próximos dois anos. A cerimônia de posse ocorre no dia 12 de setembro. A manifestação em relação a adequação de gênero na palavra, surgiu depois do ministro Ricardo Lewandowaki perguntá-la como preferia ser chamada.

A ministra é a segunda mulher a ser presidente do STF. Ellen Gracie ocupou o posto durante o biênio de 2006 a 2008. O plenário decidiu, como já ocorreu em outras eleições, escolher como presidente o ministro mais antigo no tribunal, e que ainda não ocupou a cadeira.

Na mesma sessão Dias Toffoli também foi oficializado como vice-presidente do Supremo. O ministro é o segundo mais longevo que ainda não presidiu o STF.

Jornal Midiamax