Brasil

Justiça Federal suspende leilão dos carros de Eike Batista

O automóvel mais em conta era um Smart Fortwo, ano 2009, de 30 mil reais

Clayton Neves Publicado em 24/02/2015, às 18h14

None
3oty95lxuh_qug6uic98_file.jpeg

O automóvel mais em conta era um Smart Fortwo, ano 2009, de 30 mil reais

A Justiça Federal do Rio de Janeiro cancelou nesta terça-feira o leilão de carros do empresário Eike Batista, programado para esta quinta-feira. A decisão, assinada pelo desembargador Massod Azulay, ocorre logo após o juiz Flávio Roberto de Souza, que conduz os processos criminais contra o empresário, ser flagrado usando um de seus carros.

Em sua decisão, o desembargador levou em conta que os automóveis “não são bens perecíveis” e “não correm o risco de deterioração iminente”. Por isso, o magistrado entendeu que a realização do leilão pode ser adiada, para que seja garantido o direito ao contraditório e à ampla defesa do réu: “Observe-se que a apreensão dos bens se deu há menos de 30 dias, não se justificando a designação de data para o leilão sem que o réu ou terceiros proprietários tenham tido a oportunidade da interposição dos recursos cabíveis quanto à medida constritiva que recaiu sobre seu patrimônio”, explicou.

Sindicância — Souza, que determinou a apreensão dos bens de Eike Batista, foi visto nesta terça-feira pela manhã, dirigindo o automóvel, um Porsche Cayenne turbo placa DBB 0002, no centro do Rio, próximo à sede do Tribunal Regional Federal. Ele afirma, porém, que levou o veículo para a garagem do seu prédio, na Barra da Tijuca, zona Oeste da cidade, por falta de vagas no pátio da Justiça Federal e por causa da lotação do depósito da Polícia Federal. O juiz será alvo de uma sindicância. O processo foi instaurado pela Corregedoria Regional da Justiça Federal da 2ª Região, por determinação do corregedor regional em exercício, desembargador federal José Antonio Lisbôa Neiva. O procedimento vai investigar a conduta do juiz.

Além do Porsche, um Toyota também levado da casa de Eike, estava no prédio de residência do juiz. Ele explicou, no entanto, que enviou um ofício ao Detran pedindo que os carros blindados do empresário ficassem à disposição da 3ª Vara enquanto não vão a leilão. Segundo o juiz, não há irregularidade nisso, já que o Detran foi informado.

Leilão — O leilão de cinco veículos retidos tinha avaliação total de 1,79 milhão de reais. Somente o carro mais valioso, uma Lamborghini Aventador, ano 2011/2012, foi estimado em 1,62 milhão de reais – o veículo enfeitava a sala da casa do empresário.

O automóvel mais em conta era um Smart Fortwo, ano 2009, de 30 mil reais. Havia ainda três Toyota Hilux blindadas. A mais barata foi estimada em 45 mil reais, modelo 2005/2006. As outras duas são de 2006/2007 e estão avaliadas em 50 mil reais cada. Os lances mínimos devem superar o valor de avaliação.

A apreensão ocorreu como consequência do bloqueio determinado pelo juiz Flávio Roberto, em meio à ação penal em que Eike é réu sob acusação de crimes contra o mercado de capitais.

Jornal Midiamax