Brasil

Dilma diz que soberania significa ‘submissão à vontade’ das urnas

Presidente discursou em formatura de novos diplomatas do Rio Branco

Gerciane Alves Publicado em 12/08/2015, às 18h05

None
dilma.jpg

Presidente discursou em formatura de novos diplomatas do Rio Branco

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (11), em discurso na formatura de novos diplomatas do Instituto Rio Branco, que a soberania do país significa “submissão à vontade geral expressa nas urnas”. Aos diplomatas recém-formados, ela disse ainda que o estado brasileiro “só é respeitado” na medida em que no país for respeitada a soberania popular.

“O estado brasileiro só é respeitado no mundo na medida em que em nosso território se exercer e respeitar a soberania popular. Essa soberania siginfica submissão à vontade geral expressa nas urnas. Dela depende o cumprimento do programa econômico, social e  político de mudanças que a socidade escolhe de quatro em quatro anos”, afirmou a presidente.

“A ação futura de vocês, jovens diplomatas, articulará duas dimensões essenciais da democracia: a defesa da soberania nacional e o respeito à soberania popular, que é base também do nosso processo de inclusão social”, continuou Dilma.

Ela também fez em seu discurso uma defesa da democracia nos países da América do Sul.

A integrção nos nossos países [América do Sul] sempre pressupôs a demcoracia. Ela só foi possível quando os povos de nossa região derrotaram as ditaduras no século passado. Sabemos que ela também é cada vez mais possível, porque empreendemos nas últimas décadas um forte processo de redução das desiguldades e de inclusão social”, disse.

Jornal Midiamax