Le Blog Maria Antonia

Mas, afinal, quem foi Basquiat?

Maria Antonia Naegele Publicado em 08/09/2021, às 15h15

None
Foto: Reprodução

Jean-Michel Basquiat foi um artista neo-expressionista. Nascido em Nova Iorque, nos anos 60, ele ganhou popularidade como grafiteiro até tornar-se o primeiro afro-americano a fazer sucesso nas artes plásticas da cidade. Descoberto pelo artista Andy Warhol, os dois ficaram próximos e trabalharam em um esquema de co-criação, no qual cada um deixava suas características nas obras.

Filho de um haitiano com uma nova-iorquina, Basquiat falava espanhol, francês e espanhol desde criança. Com uma trajetória que inclui tanto fugas de casa tanto uma expulsão pelo pai, ele chegou a morar nas ruas de Nova Iorque, justamente por isso sua arte começou a se desdobrar nas ruas e metrôs entre 1970 e 1980.

Basquiat nunca frequentou nenhuma escola de arte, inclusive foi reprovado nos cursos que fez. O artista, então, teve sua formação nas ruas de Nova Iorque e nos museus da cidade. Em parceria com seu amigo Al Diaz, eles criaram o pseudônimo “SAMO” (“Same Old Shit”) e grafitaram muros e prédios da região com a assinatura, assim como Banksy faz atualmente.

Com 21 anos, ele já estava expondo na Califórnia e Alemanha. Entre os anos 1981 e 1982, ele chegou a produzir 250 pinturas e 500 desenhos.

Para lidar com a pressão do grande sucesso, e também com a sua conturbada amizade com Andy, ele acabou caindo nas drogas. Em 1988, aos 27 anos, ele faleceu por overdose acidental de heróina. Após sua morte, suas obras chegaram a ser leiloadas por mais de 110 milhões de dólares (ultrapassando o próprio Warhol).

Fotos : Reprodução

Jornal Midiamax