Variedades / Saúde

Mulher supera obesidade e bulimia, e vira personal trainer

Robanne Robin, de 43 anos, já teve quase 140 kg e 44 kg

Clayton Neves Publicado em 03/07/2015, às 13h16

None
foto-2.jpg

Robanne Robin, de 43 anos, já teve quase 140 kg e 44 kg

A americana Robanne Robin, de 43 anos, passou por obesidade mórbida, anorexia e bulimia. Seu peso variou entre quase 140 kg e 44 kg. Hoje, após cirurgia bariátrica e hábitos saudáveis, está com 63,5 kg e se tornou personal trainer. “Eu me perdi na tentativa de ser magra quando mais jovem e estraguei tudo. Mas sou a prova de que você não pode desistir de si mesmo”, disse. Os dados são do jornal Daily Mail.

Os problemas com o peso começaram quando era criança. “Eu me lembro de estar tão confusa com o divórcio dos meus pais que a comida parecia ser apenas uma maneira fácil de me fazer sentir melhor.” Anos se passaram, com quilos extras se acumulando. Até que, na adolescência, decidiu ser magra. “Outras meninas na escola pareciam tão magras e bonitas. Então, parei de comer completamente. Mascava chiclete e bebia refrigerante diet para suprimir o apetite e comia um punhado de balas doces para que o meu açúcar no sangue não despencasse.”

Nesse período, evitava se alimentar perto de outras pessoas e, quando isso acontecia, cuspia pedaços de comida mastigados no guardanapo. Depois de anos sentindo fome, confidenciou a uma amiga que estava cansada dessa situação. O conselho dela foi apostar na bulimia, em que se come e vomita depois. “Olho para trás e sinto-me mal por isso, mas me soava melhor do que o que estava fazendo, porque estava tão cansada de me sentir com fome. Comia quantidades maciças e vomitava logo após. Nunca percebi quão envergonhada ficaria de mim.”

Só deixou a bulimia, que mantinha em segredo do próprio marido, quando ficou grávida do primeiro filho, em 1999. Usou as três gestações como uma desculpa para comer o que quisesse. Em 2009, chegou a quase 140 kg. “Naquele momento, me sentia presa. Pensava que sempre estaria acima do peso e que nunca mudaria, então admitia a derrota e comia o que queria.”

Depois de ir ao hospital algumas vezes e de seu marido falar sobre sua preocupação em relação à saúde dela, percebeu que estava prejudicando a família e precisava mudar. Em agosto de 2009, passou pela cirurgia bariátrica, começou a se exercitar e teve também de realizar uma abdominoplastia. “Nunca pensei que faria uma cirurgia plástica, mas quando você perde todo esse peso e ainda odeia ficar sem roupa porque sua pele está em seu colo, é muito deprimente”, revelou.

Hoje, mantém o corpo saudável com 63,5 kg, é professora de ginástica e escreveu o livro Half My Size (em tradução livre, Metade do Meu Peso). “Algumas pessoas que fizeram a cirurgia ganharam o peso de volta, mas quando olho para fotos minhas de antes e depois, percebo que não tenho escolha a não ser malhar para ficar em forma. Adoro a minha aparência e ser capaz de ser tão ativa quanto sou. Se você tivesse me dito há seis anos que estaria dando aulas de fitness, nunca teria escutado, mas nunca fui tão feliz como hoje, ajudando crianças e adultos a se divertirem com fitness e não pensarem sobre seus corpos em termos de gordo e magro.”

Jornal Midiamax