Variedades / Saúde

Apesar de ‘superobeso’, paciente internado no Recife é desnutrido

Dieta sem carnes causou baixa de proteínas em Carlos Freitas, 28 anos

Isaias Domingues Publicado em 13/07/2015, às 17h02

None
obesidade.jpg

Dieta sem carnes causou baixa de proteínas em Carlos Freitas, 28 anos

Os primeiros exames feitos em Carlos Antônio dos Santos Freitas, 28 anos, que está internado há cinco dias no Hospital das Clínicas (HC), no Recife, para tratar de um quadro extremo de obesidade — ele pesa 420 quilos — mostram que ele não é hipertenso nem anêmico, mas sofre de desnutrição grave. A avaliação foi repassada pelos médicos que o atendem, em entrevista coletiva realizada na manhã desta segunda-feira (13). Doze equipes de profissionais de várias áreas estão cuidando do paciente.

De acordo com Álvaro Ferraz, chefe do serviço de cirurgia-geral do HC, o fato de ele não ter anemia nem hipertensão mostram que o caso dele é grave, mas menos do que se esperava. De acordo com o exame de sangue, a desnutrição é causada por ausência de proteínas, uma vez que a dieta de Carlinhos, como é chamado, era rica em carboidratos, mas não continha carnes. Segundo Ferraz, é um problema difícil de tratar, pois a reposição de proteínas é demorada e sua ausência pode provocar complicações em outros órgãos.

“Essa desnutrição protéica é relativamente comum em pacientes obesos. E é uma desnutrição mais grave. A deficiência de proteína traz consigo outras alterações, como diminuição da imunidade, o comprometimento da função de órgãos vitais, como o fígado, e até mesmo a circulação”, afirma Ferraz.

A médica Luciana Siqueira, cirurgiã do aparelho digestivo, informou que o paciente está se adaptando bem à dieta oferecida no hospital. A quantidade de alimentos ainda é grande, pois esse ponto não pode ser modificado de uma hora para outra. No entanto, as porções agora são fracionadas, servidas a cada três horas, e itens como frutas e verduras já foram introduzidos no cardápio. “A mudança de cardápio tem que ser feita devagar, com a ingestão de salada de frutas, verduras e legumes de uma forma geral. A dieta dele ainda é hipercalórica e, depois disso, a gente vai fazer a restrição de calorias que seja necessária para ajudar na perda de peso”, detalha. A cirurgiã explicou ainda que quando ele começar a perder peso, a primeira providência vai ser colocar um balão intragástrico. A cirurgia bariátrica em si será um passo bem posterior.

Ana Caetano, gerente de atenção à saúde do Hospital das Clínicas, falou sobre os demais cuidados que estão sendo tomados pela equipe. As feridas na pele de Carlinhos são um ponto delicado, pois estão infeccionadas. O tratamento para evitar que piorem consiste em higienização e uso de um produto com carvão.

A partir desta segunda-feira, profissionais de educação física e de fisioterapia vão começar a traçar um planejamento de exercícios para o paciente, iniciamente com atividades para fazer em cima da cama. O objetivo é diminuir o inchaço das pernas, causado pela retenção de líquidos. A expectativa dos médicos é que ele perca 100 quilos, somente tratando essa retenção de líquidos.

Os médicos disseram ainda que, segundo a família de Carlinhos, ele sempre foi uma criança gordinha e somente aos 15 anos começou a ganhar mais peso. Porém, nos últimos dois anos, esse ganho aumentou muito e ele chegou a somar mais 200 quilos. Também sabe-se que ele apresenta uma deficiência cognitiva, mas o distúrbio mental ainda não foi classificado pelos médicos.

Emagrecimento
Segundo a equipe médica do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco(UFPE), Carlinhos precisa perder pelo menos 25% de seu peso para passar por uma cirurgia bariátrica. Os médicos afirmam que ele não tem condições clínicas para suportar o pós-operatório com este peso. Por isso, um tratamento multidisciplinar de perda de peso está sendo iniciado e a previsão é de que o processo dure pelo menos seis meses.

Jornal Midiamax