Sem Categoria

Marun utilizou jatinho da FAB para vir à Capital, consta em registros oficiais

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), utilizou um jatinho da Força Aérea Brasileira (FAB) para viajar ao seu estado natal, Mato Grosso do Sul, durante o feriadão do 1º de maio. Segundo registros oficiais, o político embarcou em um voo na sexta-feira (27/4), retornando a Brasília apenas na noite da terça (1º/5). […]

Diego Alves Publicado em 07/05/2018, às 21h07 - Atualizado às 21h08

None

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), utilizou um jatinho da Força Aérea Brasileira (FAB) para viajar ao seu estado natal, Mato Grosso do Sul, durante o feriadão do 1º de maio. Segundo registros oficiais, o político embarcou em um voo na sexta-feira (27/4), retornando a Brasília apenas na noite da terça (1º/5).

Nas informações das viagens, Marun alegou motivo de “serviço” para voar para Campo Grande. A agenda da Secretaria de Governo traz compromissos na cidade no dia 30 de abril como reuniões com a Federação dos Trabalhadores da Agricultura e Movimento de Luta pela Reforma Agrária, com superintendentes regionais de órgãos como Funai, Funasa, Correios, Infraero e PRF e um encontro com o deputado federal Vander Loubet (PT-MS).

Na ida para o estado, em 27 de abril, o ministro realizou ainda uma parada em Salvador (BA), onde, de acordo com a agenda divulgada pela pasta, compareceu a um almoço-debate.

Conforme o Decreto n° 4.244/2002, que dispõe sobre os voos da FAB, é permitida a utilização de aeronaves da Força Aérea para o transporte de autoridades, como vice-presidente; presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados; ministros de Estado e comandantes das Forças Armadas. Nos motivos listados para o uso dos aviões, estão “segurança e emergência médica, viagens a serviço e deslocamento para o local de residência permanente”.

Apesar de um decreto de 2015, assinado pela então presidente Dilma Rousseff (PT), suspendendo a utilização, por parte dos ministros, de aviões do Comando da Aeronáutica sob a justificativa de retorno a suas cidades de origem, é comum que os políticos “encaixem” compromissos oficiais nos seus estados de domicílio durante fins de semana ou feriados.

Outros casos

Em fevereiro deste ano, o deputado federal e então ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE) utilizou um avião da FAB para cumprir agenda oficial em Pernambuco, seu estado de origem, durante o Carnaval. Entre um compromisso e outro, o político tirou uma folga para curtir camarotes em Recife e Olinda.

Em 2017, o então ministro chegou a utilizar aeronaves da Força Aérea em 28 trechos entre Pernambuco e o Distrito Federal. Desses, 16 foram voos agendados para sextas ou segundas-feiras. Outros oito ocorreram em terças ou quintas.

No ano passado, o também deputado federal e ex-ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV-MA), viajou em um avião da FAB para uma reunião em uma quinta-feira, 22 de novembro, em Fernando de Noronha (PE) com representantes do Parque Nacional Marinho. Contudo, em companhia da mulher e do filho mais novo, ele permaneceu na ilha até o domingo (26).

Visita a Cunha

Quando ainda ocupava mandato na Câmara dos Deputados, Marun foi alvo de outra polêmica envolvendo viagens e uso do dinheiro público. Em dezembro de 2016, o político usou a verba da cota parlamentar para bancar passagem aérea e hospedagem em Curitiba (PR), onde visitou o antigo aliado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso no Complexo Médico-Penal de Pinhais, na região metropolitana da capital paranaense.

Após repercussão negativa, Marun devolveu à Câmara os R$ 1.242,62 gastos com a visita ao amigo. Na época, presenteou o ex-presidente da Casa com o livro A ditadura acabada, de Elio Gaspari, e desejou votos de um 2017 “menos infeliz”.

Outro lado

Procurado pelo Metrópoles, o ministro Carlos Marun justificou, via assessoria de imprensa, que viajou para cumprir compromissos oficiais no estado na segunda-feira (30/4). As reuniões foram documentadas em suas redes sociais.

Jornal Midiamax