Política / Transparência

Policial envolvido em sequestro e extorsão é excluído do efetivo inativo da PMMS

Crime aconteceu em 2000 e policial foi condenado a 13 anos de prisão

Renata Volpe Publicado em 08/06/2021, às 12h08

Palácio Tiradentes, sede do Comando-Geral da PM de Mato Grosso do Sul
Palácio Tiradentes, sede do Comando-Geral da PM de Mato Grosso do Sul - Saul Schramm, Governo de MS

O policial militar Paulo Siqueira Barbosa, envolvido no crime de sequestro e extorsão há 21 anos, foi excluído do efetivo inativo da Polícia Militar, conforme portaria publicada nesta terça-feira (8), no Diário Oficial do Estado.

Segundo a publicação, o policial reformado Paulo Siqueira Barbosa foi excluído, por decisão judicial do efetivo inativo da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul, segundo sentença da Ação Penal movida pelo Ministério Público. A portaria é assinada pelo Comandante-Geral da PMMS, Marcos Paulo Gimenez.

Paulo foi condenado a 13 anos e 5 meses em regime fechado. Conforme o processo, os fatos aconteceram em 2000. Na época, os policiais envolvidos teriam sequestrado Jean Jorge O Campos e Mário Márcio de Oliveira durante uma fiscalização da polícia militar em Rio Verde de Mato Grosso. Os dois estavam em uma camionete roubada em Campinas. Eles foram trazidos para Campo Grande, mas não foram presos.

Na Capital, os militares Paulo Siqueira Barbosa, Carlos Alberto de Souza e Carlos Alberto dos Santos entraram em contato com um cabo da PM, que teria tentado fazer Jean entregar o resto da quadrilha. Com isso, o grupo de policiais exigiu R$ 25 mil para liberar os dois presos. Durante a negociação, os policiais teriam encontrado com o comandante do DOF na época, Sebastião Otímio, que sabia sobre o que estava acontecendo.

A quadrilha formada pelos policiais teria, então, feito um acordo com os arrastadores de carro para a passagem de veículos para a Bolívia.

Jornal Midiamax