Política / Transparência

MPMS estuda arquivar investigações sobre Detran, desmatamento no Parque dos Poderes e ações na pandemia

A 5ª sessão virtual do Conselho Superior do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que começará em 15 de março, tem pré-agendados 104 processos com pedidos de arquivamento a serem analisados. Das peças, 57 envolvem procedimentos administrativos sobre questões internas de promotorias de vários municípios, sendo 19 deles de Campo Grande. Além disso, […]

Danúbia Burema Publicado em 08/03/2021, às 09h52 - Atualizado às 09h54

Sede do MPMS no Parque dos Poderes | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax
Sede do MPMS no Parque dos Poderes | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax - Sede do MPMS no Parque dos Poderes | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax

A 5ª sessão virtual do Conselho Superior do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que começará em 15 de março, tem pré-agendados 104 processos com pedidos de arquivamento a serem analisados.

Das peças, 57 envolvem procedimentos administrativos sobre questões internas de promotorias de vários municípios, sendo 19 deles de Campo Grande.

Além disso, 47 processos tratam de inquéritos civis e procedimentos preparatórios remetidos por Promotorias, conforme publicado no Diário Oficial do MPMS desta segunda-feira (8).

Os relatórios enviados ao conselho indicam o fim das apurações sem que haja necessidade ou possibilidade de abertura de ações judiciais ou improcedência das denúncias. Desta forma, devem seguir para o arquivo.

Os pedidos de arquivamento incluem inquéritos sobre irregularidade no uso da sede do Detran-MS de Ribas do Rio Pardo por empresa privada de vistoria veicular; a existência de planos de ação para fornecimento de merenda a alunos da Rede Estadual durante a pandemia de coronavírus; a venda de bebidas alcoólicas a adolescentes nas aldeias de Miranda; irregularidade na doação de terrenos em Coxim; e ilegalidades no desmatamento do Parque dos Poderes; entre outros.

As Promotorias de Amambai e Ivinhema enviaram um inquérito cada uma sob sigilo.

Assim, caberá ao Conselho Superior do MPMS analisar se os pedidos de arquivamento devem ser acatados, a partir de pareceres dos conselheiros relatores e votação no plenário virtual. As orientações também podem incluir a continuidade das apurações.

Jornal Midiamax