Política / Transparência

R$ 11 milhões: estudos apontarão viabilidade de concessão de aeroportos em MS

O Ministério da Infraestrutura publicou nesta quinta-feira (8) edital de chamamento de público de estudos com o objetivo de apresentação de projetos, levantamentos, investigações e estudos técnicos que subsidiem modelagem das concessões para expansão, exploração e manutenção de aeroportos comandados pela Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária). Na lista, qu...

Guilherme Cavalcante Publicado em 08/10/2020, às 07h48 - Atualizado às 08h40

Leonardo de França, Midiamax, Arquivo
Leonardo de França, Midiamax, Arquivo - Leonardo de França, Midiamax, Arquivo

O Ministério da Infraestrutura publicou nesta quinta-feira (8) edital de chamamento de público de estudos com o objetivo de apresentação de projetos, levantamentos, investigações e estudos técnicos que subsidiem modelagem das concessões para expansão, exploração e manutenção de aeroportos comandados pela Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária).

Na lista, que consta na edição de hoje do DOU (Diário Oficial da União), estão os aeroportos de Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã, além dos principais aeroportos do país, como o Santos Dumont (Rio de Janeiro) e Congonhas (São Paulo).

Conforme a publicação, o edital realiza chamamento de pessoas físicas ou jurídicas interessadas em estudos que subsidiem a modelagem de concessão, que deverá estruturar relatórios de estudos de mercados, de Engenharia, Ambientais e de Avaliação Econômico-financeira.

No caso de Mato Grosso do Sul, o valor máximo de eventual ressarcimento pelo conjunto de projetos será de R$ R$ 4.262.501,16 para a estrutura de Campo Grande; R$ 2.974.360,37 para os projetos de Corumbá; e R$ 3.572.316,65 para os estudos de Ponta Porã.

Ampliação

Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) espera entregar as obras de ampliação do Aeroporto Internacional de Campo Grande – um dos objetos do edital de estudo de concessão –  no primeiro semestre de 2021. Com investimento de 39,9 milhões e geração de mais de 2 mil empregos diretos e indiretos, os trabalhos foram iniciados em outubro do ano passado. Ao fim das obras, o terminal de passageiros estará 65% maior, passando de 6.185 m² para 10.027 m².

A sala de embarque será ampliada em 263%, de 480 m² para 1.740 m²; o saguão de 1.508 m² para 2.916 m²; e as áreas comerciais de 560 m² para 842 m². Assim, a capacidade do terminal praticamente dobrará, passando dos atuais 2,5 milhões de passageiros por ano para 4,5 milhões. E para garantir mais fluidez aos viajantes, serão instalados mais três balcões de check-in e mais dois equipamentos de raio-x. A climatização do terminal também está sendo modernizada, assim como os sanitários. O terminal contará ainda com projetos de sustentabilidade através do reaproveitamento da água da chuva e do sistema de climatização.

Jornal Midiamax