Política / Transparência

MP contesta recurso de candidato à reeleição em Paranhos em ação por desvio de recursos

Dirceu Bettoni (PSDB) responde ação civil pública por improbidade administrativa após MPMS apurar pagamentos irregulares à empresa.

Jones Mário Publicado em 11/11/2020, às 17h20 - Atualizado às 17h27

Dirceu Bettoni (PSDB) é prefeito e candidato à reeleição em Paranhos (Foto: Reprodução/Facebook)
Dirceu Bettoni (PSDB) é prefeito e candidato à reeleição em Paranhos (Foto: Reprodução/Facebook) - Dirceu Bettoni (PSDB) é prefeito e candidato à reeleição em Paranhos (Foto: Reprodução/Facebook)

O MPMS (Ministério Público Estadual) apresentou impugnação aos recursos das defesas do prefeito e candidato à reeleição em Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB), bem como dos demais representados no âmbito de ação por desvio de recursos públicos do município.

O tucano responde por improbidade administrativa, após inquérito do MPMS apurar o pagamento de R$ 587,7 mil pela prefeitura à empresa L.M Jara Mercearia ME., de 2006 a 2009, via notas fiscais “frias”, ou seja, que não correspondiam a entrega de qualquer bem ou serviço.

O promotor de Justiça William Marra Silva Júnior apresentou a ação civil pública em julho de 2015. O juiz da Comarca de Sete Quedas Milton Zanutto Junior aceitou a denúncia em março deste ano.

Em manifestação do último dia 5, o MPMS sustenta que os recursos contra o recebimento da ação apenas repetem argumentos já apresentados anteriormente. Além disso, alega que a defesa “utilizou-se de verdadeira manobra de ‘copiar e colar’ as manifestações anteriores”.

Dirceu Bettoni foi eleito prefeito de Paranhos pela primeira vez em 2008. Após quatro anos longe do poder, voltou a disputar as eleições em 2016, e venceu.

Bettoni tenta renovar seu mandato este ano. O único rival é Heliomar Klabunde (MDB), mas que teve candidatura indeferida e ainda briga na Justiça Eleitoral para manter seu nome à disposição.

Além do prefeito, quatro servidores municipais e três pessoas ligadas à empresa também foram representados pelo MPMS na ação.

Jornal Midiamax