Política / Transparência

Eleição causa dança das cadeiras no alto escalão e Funtrab troca de diretor

As eleições municipais de 2020 estão causando dança das cadeiras no alto escalão do Governo de Mato Grosso do Sul e o diretor-presidente da Funtrab (Fundação de Trabalho) Enelvo Felini, é mais um a deixar o cargo para disputar a eleição em Sidrolândia, distante 70 quilômetros de Campo Grande. A exoneração a pedido foi publicada […]

Renata Volpe Publicado em 03/06/2020, às 08h57 - Atualizado às 09h33

Enelvo ficou no cargo de diretor-presidente por um ano. (Divulgação)
Enelvo ficou no cargo de diretor-presidente por um ano. (Divulgação) - Enelvo ficou no cargo de diretor-presidente por um ano. (Divulgação)

As eleições municipais de 2020 estão causando dança das cadeiras no alto escalão do Governo de Mato Grosso do Sul e o diretor-presidente da Funtrab (Fundação de Trabalho) Enelvo Felini, é mais um a deixar o cargo para disputar a eleição em Sidrolândia, distante 70 quilômetros de Campo Grande.

A exoneração a pedido foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (3). Assume o lugar de Felini, Marcos Henrique Derzi Wasilewski. A substituição e exoneração tem assinatura do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Segundo Felini afirmou ao JornalMidiamax, ele vai disputar a eleição em Sidrolândia. “Faço parte do grupo político do governador e ele pediu para eu disputar”. Enelvo Felini é filiado ao PSDB e já disputou a eleição no município e em 2018, foi candidato a deputado estadual. 

Ele foi diretor-presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), mas deixou o cargo em 2017, para assumir como suplente, a cadeira deixada na Casa de Leis, após a saída de Flávio Kayatt (PSDB), que assumiu o cargo de conselheiro do TCE (Tribunal de Contas Estadual).

Marcos Derzi foi superintendente da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste) nomeado por Michel Temer em fevereiro de 2019, a pedido do ex-ministro Carlos Marun, mas exonerado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), meses depois.

Também foi publicada a exoneração de Carlos Alberto Assis, que vai disputar as eleições em Campo Grande.

Jornal Midiamax